Como educar para a conservação da biodiversidade?

298
"Da Natureza das imagens", Paulo Ribeiro Baptista.

No dia 22 de maio celebra-se o Dia Internacional da Biodiversidade. A data foi instituída pela ONU com o objetivo de chamar a atenção para a urgência e importância da preservação da biodiversidade.

Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o jornal online NotíciasdeAveiro.pt gratuito.

A comunidade científica tem vindo a alertar para a crise da biodiversidade causada pelos impactos das atividades humanas, incluindo a poluição, destruição dos habitats, alterações climáticas ou invasões biológicas. Esta drástica e rápida perda de biodiversidade é preocupante, não apenas pelos seres vivos que desaparecem, mas também pela perda dos serviços que os ecossistemas saudáveis nos prestam e dos quais a Humanidade depende diretamente. Estes incluem, entre outros, a polinização, a regulação do clima, a reciclagem de nutrientes ou o controlo de doenças e pragas.

Para comemorar este dia, sugerimos três estratégias educativas, desenvolvidas, implementadas e avaliadas pelo CIDTFF e seus parceiros, que se revelaram eficazes na promoção de atitudes e comportamentos positivos face à conservação da biodiversidade.

1- Provar e experimentar a biodiversidade: a biodiversidade que existe dentro das espécies, tornando todos os seres vivos únicos é essencial para a adaptação das espécies às mudanças do meio e para o bem estar humano. Convidar os alunos a provar e explorar a diversidade que existe dentro de uma espécie vegetal (tomates, maçãs ou outras) revelou-se uma estratégia eficaz, não apenas para promover hábitos de alimentação saudável, mas também para desenvolver atitudes positivas face à conservação da diversidade (mais em https://bit.ly/3JQ73I7);

2-Tornar a Natureza uma sala de aulas: fora de quatro paredes, os alunos podem aprender observando, mexendo e fazendo, de formas que não seriam possíveis na sala de aula ou com manuais. Os alunos aprendem ciências e exploram a diversidade usando os diferentes sentidos: ouvir, sentir, provar, observar e descrever os sons, sabores, texturas, formas e cores. Exploram matemática descrevendo a biodiversidade – medir, calcular e estimar tamanhos, quantidades, densidades e formas – ou estudando sequências e simetrias. Aprendem nomes de diferentes seres vivos, constituintes e processos, enriquecendo o vocabulário e desenvolvem a comunicação verbal e não verbal enquanto exploram diferentes problemas. As expressões podem ser exploradas usando a natureza como inspiração ou matéria prima. Para mais ideias ver https://bit.ly/3JTlFq4. Vários estudos mostram que este contacto dos alunos com a Natureza promove atitudes positivas face à biodiversidade;

3- Tornar os alunos embaixadores da conservação – estratégias como a aprendizagem por projeto ou por desafio em que os alunos desenvolvem e implementam projetos para a conservação da biodiversidade, têm promovido a mudança de atitudes e comportamentos dos alunos, tornando-os verdadeiros embaixadores da conservação (https://bit.ly/4aeiW5l).

Seja também embaixador/a da biodiversidade e saiba mais sobre como educar para a conservação. Contacte-nos e junte-se a nós!

* Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF) da Universidade de Aveiro. Artigo publicado originalmente no site UA.pt.

Siga o canal NotíciasdeAveiro.pt no WhatsApp.

Publicidade e serviços

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais no jornal online NotíciasdeAveiro.pt, assim como requisitar outros serviços. Consultar informação para incluir publicidade online.