Clubes da AFA resistem à pandemia e unem esforços para manter a realização dos jogos de futebol e futsal

343
Foto AFATV.
Smartfire 728×90 – 1

O ano de 2020 tem sido atípico, não há como negar, e a propagação da COVID-19 para os níveis de pandemia que hoje se conhecem trouxe ajustes recorrentes, aos quais o desporto não ficou alheio.

Ainda assim, o cuidado e a responsabilidade são lemas que regem a atuação dos intervenientes desportivos da Associação de Futebol de Aveiro (AFA), e a prevenção tem sido palavra de ordem, algo que permite que, por esta altura, a percentagem de realização de jogos nas principais provas ronde os 79% do total de encontros previstos.

Desde o momento em que a AFA optou por não dar sequência às suas provas, unindo esforços com a comunidade na luta contra a pandemia, o executivo liderado por Arménio Pinho foi o primeiro, de entre as associações distritais do país, a implementar um gabinete dedicado à Covid-19, através de uma linha de apoio aos clubes sob a sua alçada para assuntos relacionados com a pandemia.

“Fomos a primeira Associação a criar um gabinete dedicado à Covid-19, e estamos em contacto permanente com os clubes para garantirmos a resolução de todas as questões associadas”, destaca o presidente da AFA, para quem “este campeonato é histórico e ficará para sempre na memória de todos”.

Apesar das limitações, o dirigente sublinha que “até esta data, está a decorrer muito bem, até acima das expetativas mais otimistas”, o que se deve, em grande parte, “à enorme capacidade e resiliência perante as adversidades” registada pelos “diversos intervenientes desportivos, desde dirigentes a equipas técnicas, jogadores e árbitros”.

No Campeonato SABSEG, foram realizados 82 dos 100 jogos previstos, sendo que ‘apenas’ 10 (10%) foram adiados por culpa da pandemia. A percentagem de encontros realizados desce para os 71% no Campeonato Grande Hotel de Luso, prova em que avançaram 40 dos 56 jogos agendados, com 11 adiamentos (20%) motivados por casos de Covid-19.

Os responsáveis aveirenses procuraram garantir, na linha do que foi acontecendo um pouco por todo o país, o regresso faseado da prática desportiva, mantendo uma constante monitorização junto dos clubes, cujo trabalho “tem sido fundamental” para demonstrar que o desporto pode revelar-se uma pedra basilar no complexo momento que atravessamos.

Promovendo a luta contra o sedentarismo e sem descurarem protocolos e modelos de atuação vigentes para a prevenção do contágio, o futebol e o futsal de Aveiro dão sequência à sua atividade nas provas seniores, tendo sido garantida, até agora, a realização de cerca de 79% dos jogos previstos nas diferentes competições das duas modalidades.

“São tempos complexos, não adivinhamos o que o futuro nos reserva e compreendemos os receios, que são comuns a todas as pessoas e atividades. Mas a verdade é que temos poucos casos de Covid-19 no contexto do desporto, quando comparado com outras atividades”, salienta Arménio Pinho, que aponta a uma avaliação “para além do imediato”.

“Estamos a competir com os escalões de seniores e de Sub-22, cumprindo todas as normas e procedimentos fundamentais, e devemos ver para além do imediato. Só no futuro podemos aferir se hoje estamos a ter uma decisão acertada, porque tudo isto é novo e não existe experiência. Para já, depois destas jornadas já disputadas, conseguimos perceber que estamos a ter campeonatos com emotividade máxima e de categoria superior”.

O presidente da AFA reforça, ainda, “a importância do digital” em todo este processo, destacando “a ação da AFA TV”, que, através da campanha Estádio Virtual – O jogo que nos une, “garante as transmissões de jogos do Campeonato SABSEG, disponibilizando-as através de um bilhete virtual que reverte em parte para os clubes, numa altura em que estes não podem, nesta fase, ter receitas de bilheteira”.

Dados das várias competições de futebol e de futsal em disputa na Associação de Futebol de Aveiro.

Associação de Futebol de Aveiro