Campanha pelo fim da concessão do estacionamento em Santa Maria da Feira

403
Cidade de Santa Maria da Feira.
Dreamweb 728×90 – Video I

O Bloco de Esquerda iniciou uma campanha pelo fim da concessão do estacionamento à empresa P. Parques. Lembre-se que esta empresa deve 700 mil euros ao Município de Santa Maria da Feira, a quem não paga há 100 meses.

Na primeira iniciativa desta campanha, no sábado passado, o Bloco de Esquerda distribuiu vários panfletos pelos carros estacionados no centro da cidade de Santa Maria da Feira.

Nesses panfletos pergunta-se ao condutor: ‘Sabia que a empresa deve 700 mil euros ao Município? E que a Câmara Municipal não acaba com o contrato?’, fazendo depois a proposta do Bloco: ‘Diz Não ao calote. Fim da concessão à P. Parques’.

O Bloco de Esquerda continuará a campanha, com esta e outras ações, para esclarecer a população do que está a acontecer no concelho com esta concessão que é altamente lesiva para o interesse público.

Lembre-se que o Bloco de Esquerda já enviou o caso para o Ministério Público por “considerar que o interesse público não está a ser respeitado e que o erário público não está a ser bem administrado; que não há razão plausível para se permitir o não cumprimento de pagamentos contratuais durante 100 meses quando a resolução contratual é possível”.

Segundo o contrato de concessão e o caderno de encargos, a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira poderia ter acabado com o contrato se a empresa P. Parques não pagasse durante 6 meses ou mais. Acontece que a empresa já não paga há 100 meses e a Câmara Municipal continua a manter em vigor um contrato que é contrário ao interesse dos feirenses e é contrário ao interesse do concelho. Como o Executivo PSD na Câmara Municipal mantém em vigor esta concessão, a dívida já vai quase em 700 mil euros.

O Bloco de Esquerda exige que a Câmara Municipal deixe de proteger uma empresa privada que há 8 anos não paga o que deve ao Município e que acabe, de uma vez por todas, com o contrato de concessão que é ruinoso para o concelho.

Até isso acontecer o Bloco de Esquerda continuará a campanha de informação à população, para que todos os munícipes saibam que o Executivo do PSD está a compactuar com uma empresa e com um contrato que já prejudicou o concelho em 700 mil euros.

Perante a gravidade da situação o Bloco considera que deve haver lugar a uma Assembleia Municipal Extraordinária para que o Executivo preste todas as explicações ao Município.

Bloco de Esquerda