“Cabe-nos conseguir três pontos jogo a jogo e sonhar com o que temos pela frente” – Manuel Rodrigues, treinador do Beira-Mar

719
Manuel Rodrigues, treinador do Beira-Mar (Foto do Facebook do Beira-Mar).
Dreamweb 728×90 – Video I

O Beira-Mar quebrou um ciclo de cinco jogos sem vencer, este domingo à tarde, em Aveiro, na receção ao Lusitano de Vildemoinhos, condenando os visitantes à despromoção.

Ao quarto jogo em Aveiro, depois de dois empates e uma derrota, o treinador Manuel Rodrigues alcançou a vitória que manteve vivo “o sonho” de ainda chegar ao objetivo principal.

Uma semana preparada com muito ruído de fundo causado por declarações de Ricardo Sousa sobre o tempo em que esteve à frente da equipa. O seu sucessor garantiu que o grupo esteve à margem da polémica.

“O que vem do exterior, sinceramente, não nos ataca minimamente. Agora, logicamente os jogadores, a direção, todos nós lemos as notícias. Mas não afectou em nada os nosso jogadores, ultrapassaram as barreiras que têm tido durante a época, não queriam estar nesta posição. Cabe-nos conseguir resolver o que temos que resolver, buscar os três pontos jogo a jogo e sonhar com o que temos pela frente”, afirmou Manuel Rodrigues após a partida deste domingo à tarde.

“Antes de começar este jogo, disse a toda a gente que o mais provável seria acabar o jogo de hoje a quatro pontos do quinto lugar. Não me enganei. As pessoas mais negativistas estão mais preocupadas com o distrital e descer. Eu, sinceramente, estou mais preocupado para ganhar jogo a jogo e ver para ver o que se passa lá em cima no quinto lugar. Temos de pensar de forma positiva e ambiciosa, com os pés bem assentes”, acrescentou.

Sobre o jogo, o treinador destacou a primeira parte “totalmente controlada” pela sua equipa, a espaços “com bom futebol e a criar várias oportunidades”, embora sem eficácia. “Ao intervalo, o resultado mais justo eram estarmos a ganhar por 1 ou ou 2-0”, disse

No descanso, Manuel Rodrigues pediu à equipa “uma reentrada forte” para chegar ao golo, o que acabou mesmo por acontecer, mas também surgiram dificuldades criadas por falhas próprias e mérito do adversário.

“Pensámos que os jogadores iriam ficar mais tranquilos, aconteceu o contrário. Veio mais nervosismo ao de cima. Logicamente, isto tem a ver com os resultados dos últimos sete ou oito jogos. É normal esta ansiedade. Os jogadores mereciam esta vitória, esta felicidade ao acabar ao jogo, Era um jogo decisivo também para o Vildemoinhos”, acrescentou.

“Podíamos ter ganho com um bocadinho mais de tranquilidade, houve ali também falhas nossas, o golo do Lusitano é também às ‘três pancadas’, tivemos um golo nosso anulado. Mas acho que o segundo veio dar uma justiça máxima, agora é descansar, temos 15 dias para trabalhar e pensar já no próximo jogo com o Anadia”, afirmou Manuel Rodrigues.

Discurso direto

[Sobre as mudanças na equipa e a prestação de Lamine] “Todos os jogadores querem jogar, trabalham durante a semana para jogar. A nossa filosofia é analisar a semana de trabalho, decidir o nosso modelo de jogo, a pensar na equipa adversária.
Hoje foi este onze, não quer dizer que em Anadia seja o mesmo. Temos 15 dias para trabalhar. O Lamine em 45 minutos fez dois golos, isso para ponta de lança é fantástico. Encontramos um jogador supermotivado para fazer golos, juntamente com os outros jogadores. O mais importante é o coletivo, estaremos focados em ajudar o Beira-Mar a continuar a crescer.

[Sobre o jogo em Anadia] Estamos um campeonato muito competitivo. O Anadia é como as outras equipas. Teve momentos muito bons, agora atravessou uma fase complicada que quer continuar a ultrapassar. Nós queremos ir ganhar a Anadia. Será certamente um jogo muito equilibrado, com duas equipas com ambições. O nosso objetivo é ir lá ganhar e analisar os resultados.

Artigo relacionado

Acendeu-se um Lamine ao fundo do túnel (BM 2 – Vildemoinhos 1)

Publicidade, Serviços & Donativos