Taça de Portugal: Beira-Mar ‘vendeu caro’ eliminação / Águeda faz sensação

884
Beira-Mar - São Martinho.
Smartfire 728×90 – 1

Um golo apontado por Manuel Pedro já ‘ao cair do pano’ ditou o ‘adeus’ do Beira-Mar da Taça de Portugal na receção ao São Martinho (Campeonato de Portugal).

Na sequência de um livre da direita, a defesa aveirense não foi lesta a aliviar o perigo, aparecendo o central à entrada da área a sentenciar a partida quando se adivinhava prolongamento.

Os locais deram boa réplica, especialmente na primeira parte, em que tiveram as melhores oportunidades para marcar.

De resto, ambas as equipas pecaram na finalização.

Logo aos cinco minutos, o central Diego Tavares, que se estreou a titular, cabeceou, após canto, para defesa apertada de Bruno.

O São Martinho, mais esclarecido taticamente, montou pacientemente a sua teia no campo.

Do lado contrário, a resposta surgia, sobretudo, em transições rápidas.

Bruno voltaria a mostrar atributos após remate de Aparício. Perto da meia hora de jogo, a defesa forasteira comprometeu num desvio que saiu junto ao poste da sua própria baliza.

Vasco, o homem mais adiantado da equipa treinada por Agostinho Bento, embora muito solicitado em sucessivos cruzamentos, nunca conseguiu levar a água ao seu moinho.

Nei, um dos melhores em campo, tentou compensar num remate perigoso que saiu às malhas laterais.

Pouco depois do intervalo, os visitantes levaram a bola a passar junto ao poste de Maringá, num remate de Chico após vários ressaltos.

Apesar de mais intensa, as paragens devido a faltas e cartões amarelo fizeram arrastar a partida quase até ao fim sem outra ocasião tão flagrante como a que viria a dar o golo da vitória.

A equipa do concelho de Santo Tirso continua, assim, ser perder em partidas oficiais.

O Beira-Mar alinhou com Maringá, Pedro Moreira (André Nogueira, 75), Lobo (Ramalho, 45), Diego, Ricardo; Aparício, Mathieu, Letz (Marcão, 79); Alex, Bruno Henrique e Artur.

O São Martinho jogou com Bruno, Chico, Tiago, Manuel Pedro, Pedro Rodrigues (João Abreu, 70); Babo, Ola, João Carneiro; George, Vasco (Matheus, 86) e Nei (Lucas, 90+2).

Declarações

“O Beira-Mar, embora com menos ritmo, igualou-nos muito na primeira parte, foi um jogo muito disputado, uma equipa muito motivada. Tivemos de manter a tranquilidade na segunda parte e a vitória foi mais que justa. Tivemas variadíssimas situações de golo, algumas não concretizadas por demérito nosso e também mérito do adversário. O Beira-Mar na segunda parte não criou quase nenhuma situação de golo” – Agostinho Bento, treinador do São Martinho.

“Ficámos com algumas limitações, que obrigaram a substituições forçadas. O São Martinho é de outro patamar. Queríamos resolver o jogo antes do prolongamento. Seria normal, foi muito dividido. Mas num lance fortuito, um ressalto, entrou. o São Martinho foi mais feliz. Igualar esta equipa que não é por acaso que não perdeu e sofreu apenas três golos diz muito dos nossos jogadores, queríamos vencer e chegar à terceira eliminatória. Sabíamos das dificuldades, mas acabámos por ser infelizes. As melhores oportunidades da primeira parte foram nossas, depois já não deu para reagir – Cajó, treinador do Beira-Mar.

Águeda e Gafanha vitoriosos 

Nos restantes jogos, destaque para o Recreio de Águeda, que afastou o Famalicão (segunda liga) por 1-0 . Niang, aos 32 minutos, deu o golo da vitória  (ler artigo).

O Gafanha continua em evidência, ao ganhar 1-2 nas Caldas (bis de Tavares), conseguindo assim alcançar a terceira eliminatória pela terceira época consecutiva. A partida terminou com os azuis reduzidos a nove jogadores por acumulação de amarelos.

Ainda quanto a equipas da região, a Oliveirense ficou pelo caminho, tendo sido eliminada pelo Fátima pela margem mínima.

Na terceira eliminatória já participam equipas da primeira Liga, na condição de visitantes.

Resultados dos jogos da segunda eliminatória da Taça de Portugal