Aveiro: Ribau junta-se a Girão Pereira na galeria dos autarcas com três mandatos

2376
Ribau Esteves (discurso de vitória eleitoral, 2021).
Dreamweb 728×90 – Video I

Ribau Esteves foi reeleito, este domingo, presidente da Câmara de Aveiro pela coligação PSD-CDS-PPM, novamente com maioria absoluta (manteve seis vereadores contra três do PS-PAN). Na declaração de vitória,o edil lançou críticas à concelhia do PSD, à coligação PS-PAN, bem como aos movimentos de cidadãos que entraram na disputa eleitoral.  BE (Nelson Peralta) e CDU (Miguel Viegas) falharam novamente a eleição de um vereador. O Chega foi o quarto partido mais votado, à frente da coligação PCP-PEV . Nas freguesias, ao perder Eixo-Eirol, o PS ficou reduzido a S. Jacinto. Na Assembleia Municipal, nota para a estreia do Chega (um mandato).

O autarca da coligação ‘Aliança com Aveiro’, torna-se, depois de Girão Pereira, que esteve 18 anos em funções, o segundo candidato na história das eleições autárquicas a conseguir ser reeleito para o terceiro mandato. Algo que os seus antecessores falharam (Alberto Souto perdeu para Élio Maia e este veio a ser derrotado nas urnas por Ribau Esteves, em 2013).

Resultados eleitorais para a Câmara (52,47 % de abstenção)

Eleitos para a Câmara

PSD-CDS-PPM
Ribau Esteves
Rogério Carlos
Ana Cláudia Oliveira
João Machado
Miguel Capão Filipe
Teresa Grancho

PS-PAN
Manuel Oliveira de Sousa
Joana Valente
Fernando Nogueira

PS perdeu votos com o PAN para a Câmara

Na Câmara, a ‘Aliança com Aveiro’ obteve 17.549 votos, reforçando a votação relativamente a 2017 (mais 762).

A coligação PS-PAN rendeu menos 1.816 votos do que o PS sozinho há quatro anos. Ficou-se pelos 8.901 votos este domingo (contra 10.717).

O BE continua em terceiro (2.191 votos) mas perdeu 166 votos.

O Chega (1.383 votos) passa a CDU (1.144 votos) como quarta força partidária.

A coligação PCP-PEV perde 254 votos relativamente a 2017.

Discurso direto

“Sobre o resultado da CDU, o que me apraz dizer é que foi mau para a CDU. A nossa mensagem de campanha era relevante, a necessidade de uma gestão mais sustentável e claramente orientada para a transição energética. Embora acolhida pelas pessoas, não se traduziu, no entanto, na votação. Perdemos um  eleito em S. Jacinto e um freguesia sede de concelho. Continuamos na Assembleia Municipal, mas com erosão na votação como aconteceu para a Câmara. Portanto, globalmente é um resultado mau, merece uma reflexão interna, que aponta para a necessidade de olhar para os próximos quatro anos e, talvez, trabalhar de forma visível no terreno, um pouco ao contrário do que aconteceu e tentar reconquistar o que se perdeu. Não nos tira o ânimo e vontade de continuar a intervir de forma contínua em defesa das nossas ideias e projetos” – Miguel Viegas, candidato à Câmara pela CDU.

A Iniciativa Liberal obteve 790 votos na sua estreia.

Discurso direto

Para a Iniciativa Liberal foi uma estreia promissora ficando a apenas 60 votos de eleger o seu primeiro deputado municipal. Conseguimos também uma boa votação para a câmara e para a assembleia da união de freguesias da Glória e Vera Cruz. Resultados extraordinários e que nos enchem de felicidade. Não consideramos no entanto que seja o fim de um ciclo, consideramos que é apenas o início do nosso compromisso para com os Aveirenses e Aveiro na defesa do interesse público.
Uma última palavra para os jovens. Acreditem que é possível um Portugal melhor, mais livre e próspero. Com a Iniciativa Liberal é possível sonhar com um país a crescer mais e melhor. Um país que devolve o poder aos seus cidadãos permitindo o crescimento pessoal e económico” – Miguel Gomes.

O Nós Cidadão, partido que serviu para a candidatura do movimento ‘Amar Aveiro’, liderado por Paulo Alves ficou-se pelos 358 votos. A lista concorreu apenas à Câmara.

Nas freguesias, o PS fica reduzido a S. Jacinto, presidida pelo reeleito António Aguiar, tendo perdido Eixo-Eirol liderada por João Morgado para a lista da coligação de direita, que apresentou como cabeça-de-lista Sara Rocha, uma estreante.

Na declaração de vitória, Ribau Esteves começou dar uma palavra à candidatura da freguesia do outro lado da Ria. “Era muito importante termos ganho S. Jacinto, a bem de S. Jacinto, mau grado todo o trabalho e dedicação”, referiu, saudando a equipa liderada por Arlindo Tavares, que já tinha sido derrotado há quatro anos.

O desfecho eleitoral no concelho foi considerado pelo edil como uma aposta “absolutamente clara dos cidadãos de Aveiro nas nossas equipas”. “Clara, cristalina, mantemos uma maioria folgada na Câmara, na Assembleia, nas Assembleias de Freguesia, vamos conseguir governar em plena condição para cumprimos o nosso programa”, sublinhou.

Discurso direto

“Ganhámos muito mais do que uma eleição, ganhámos muito mais que o direito de governar a Câmara, Assembleia Municipal e nove de 10 Juntas de Freguesia. De uma vez por todas, ganhámos a decência na vida do PSD do concelho de Aveiro, ganhámos àquela coligação negativa, absurda que o PS arranjou, coligando-se com movimentos que foram apenas tentativas de dar opiniões públicas, a quem não as tem, nomeadamente o movimento ‘Juntos pelo Rossio’, derrotámos aqueles rapazes que acham que mandam sempre em S. Bernardo, nomeadamente o ex presidente da Junta e da Câmara, Élio Maia, derrotámos toda essa gente. Derrotámos também aqueles que querem fazer democracia com mentira, calúnia e sem vergonhices, umas atrás das outras. Ganhou a verdade, ganhou a seriedade, é assim que são os aveirenses. E de uma vez por todas, aqueles que sistematicamente recorrem à mentira, à calúnia, à insídia, no combate político que aprendam esta lição, Aveiro é terra de gente séria ! Uma palavra para a nossa terceira rainha, a Sara Rocha que junta-se a nós. E a última palavra para dizer hoje, que há outras para dizer em outros momentos, vamos comemorar com grande alegria, nos quatro cantos do concelho, porque foi assim que fizemos este percurso, governamos alegria, festa enquanto o Covid deixou, fizemos outras depois, de forma alegre, positiva e amiga fizemos esta campanha para preparar nos próximos dias um grande mandato, o melhor dos três mandatos da Aliança com Aveiro” – Ribau Esteves.

Líder do PS assume derrota e anuncia saída para novo ciclo

Manuel Oliveira de Sousa, líder da coligação ‘Viva Aveiro’ (PS-PAN), que repetiu a candidatura de há quatro anos, assumiu a derrota e perda de influência eleitoral, anunciando, desde já, que irá afastar-se para o início de um novo ciclo. “Felicito os vencedores, é expressiva a vitória, os aveirenses escolheram, é mesmo assim. Viva a democracia. Felicitamos o presidente de Câmara que renova o seu mandato e com mais expressividade, todos os eleitos para as Juntas e Assembleia Municipal”, declarou.

O cabeça-de-lista para a Câmara, deixou, também, o agradecimento aos candidatos da coligação ‘Viva Aveiro’, que dedicaram imenso tempo, como todos, para fazer passar a mensagem, ouvir e com isto introduzir um novo modelo de fazer política que os aveirenses neste ato eleitoral disseram que não queriam”.

“Os nossos eleitos agora vão dedicadamente fazer oposição nos vários orgãos, tirando S. Jacinto todos os outros vão fazer oposição”, acrescentou Manuel Oliveira de Sousa, considerando que “as ilações” do desfecho eleitoral são óbvias: quem estava à frente desta coligação sai derrotado, portanto haja fim de ciclo e renove-se com outro ciclo, faça-se a mudança que Aveiro pede e deu a indicação que não é por aqui”.

Discurso direto

“É cedo para tirar todas as ilações, mas o que estava em causa era tão diferente que só posso assumir que é por causa do protagonista maior, portanto é uma opção de protagonista e de protagonistas que fazem diferente. Andámos quatro, cinco anos, dedicados em várias áreas de atuação, abrir os partidos à cidadania, ouvir os cidadãos para participarem no debate e construir programas, ajudar financeiramente durante a pandemia, acompanhar a vida nas comunidades, fazer uma oposição construtiva, não é o que os aveirenses querem, querem outro modelo. Temos de respeitar. Aveiro não é uma terra socialista, havia um crescendo em relação ao PS nos últimos atos eleitorais, se baixámos tenho de assumir as responsabilidades. O modelo foi chumbado claramente. É a democracia a funcionar, não estamos tristes por os aveirenses terem escolhido outro, nem desagrado.Os aveirenses são responsáveis pelo seu próprio futuro. Dissemos que há quatro anos algumas coisas não tinham sufragadas. Desta vez, o caminho é clarinho.  É preciso um trabalho diferente, um novo vigor. Na vida do partido assumirei a responsabilidade até ao fim do mandato e em breve haverá eleições, como é normal” – Manuel Oliveira de Sousa.

Freguesias: ‘Aliança com Aveiro’ conquista Eixo-Eirol ao PS

Nas freguesias, a coligação ‘Aliança com Aveiro’ conquista Eirol-Eixo ao PS, que fica reduzido a S. Jacinto.

Cacia » Nelson Santos, reeleito (PSD-CDS-PPM)

Esgueira » Angela Almeida, reeleito (PSD-CDS-PPM)

Santa Joana » Vitor Marques, reeleito (PSD-CDS-PPM)

Eixo-Eirol » Sara Rocha, primeiro mandato (PSD-CDS-PPM)

Requeixo, Nariz e Nossa Senhora de Fátima » Miguel Silva, reeleito (PSD-CDS-PPM)

Glória – Vera Cruz » Fernando Marques, reeleito (PSD-CDS-PPM)

Aradas » Catarina Barreto, reeleito (PSD-CDS-PPM)

Oliveirinha » Firmino Ferreira, reeleito (PSD-CDS-PPM)

S. Jacinto » António Aguiar, reeleito (PS-PAN)

S. Bernardo » Henrique Vieira, reeleito (PSD-CDS-PPM)

Chega elege um vogal para a Assembleia Municipal

Na Assembleia Municipal, Luís Souto, cabeça-de-lista, irá cumprir o segundo mandato pela coligação PSD-CDS-PPM.

A novidade do próximo mandato é a eleição de um vogal por parte do Chega. A coligação ‘Aliança com Aveiro’ vê reforçado para 15 deputados o seu grupo. PS e PAN perdem, em relação a 2017, aqueles dois vogas.

Resultados eleitorais em Aveiro (concelho).

(em atualização)

Publicidade, Serviços & Donativos

Para conhecer e ativar campanhas em NoticiasdeAveiro.pt, assim como conhecer / requisitar outros serviços e fazer donativos, utilize a nossa plataforma online.