Aveiro e Águeda assumem projeto da nova ligação rodoviária intermunicipal

5390
Reunião do executivo camarário de Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

A Câmara de Aveiro aprovou, esta tarde, a proposta de acordo a celebrar com a autarquia vizinha de Águeda para assumir a elaboração do projeto e da construção do futuro eixo rodoviário que ligará os dois concelhos, com corredor já previsto nos respetivos Plano Diretores Municipais.

A “estimativa grosseira” dos custos para o projeto da nova ligação rodoviária, para qual já existe ‘luz verde’ do Governo, é de 2 milhões de euros, segundo avançou o presidente da edilidade aveirense.

Após um ano de negociações, as autarquias, a empresa pública Infraestruturas de Portugal (IP) e o Ministério das Infraestruturas já acertaram o caminho a seguir.

Por razões de “celeridade”, as Câmaras irão constituir-se como agrupamento de entidades adjudicantes para lançar a concurso público, primeiro, a elaboração do projeto (incluindo levantamento topográfico e Estudo de Impacte Ambiental) e, depois, a empreitada da obra.

“É um projeto de grande complexidade. Temos um acordo a formalizar para dar este passo”, explicou Ribau Esteves ao intervir na reunião pública do executivo aveirense.

A Câmara de Águeda também reuniu, esta quinta-feira, em sessão extraordinária, com o mesmo propósito (ver comunicado abaixo, no artigo relacionado).

“Desta vez não será conversa de discursos e palavras. Vamos passar para o terreno, é um elemento importante de capacitação de Aveiro, da sua região, que vai ajudar na competitividade das empresas, na redução da pegada ecológica. É com muita satisfação que temos este acordo, com consciência de muito trabalho e tantas decisões ainda a tomar, mas com o compromisso de dar todos os outros passos de forma determinada”, acrescentou o presidente do município de Aveiro.

Para já, está previsto que os custos do eixo rodoviário sejam assumidos em 85% pela IP e os restantes 15% a cargo das autarquias. A parte de Aveiro entre o futuro nó junto ao parque de feiras e Eixo, poderá custar 8 milhões de euros. Mas a parte de Águeda, atendendo às condições do território, deverá ser a “mais pesada”.

Como o investimento consta da proposta de Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) a apresentar na Comissão Europeia, é expetável que os fundos europeus da ‘bazuca’ pagará a 100 por cento do projeto e a obra

“Politicamente está claro e assumido, esperamos que o Governo possa ultrapassar as resistências da Comissão Europeia ao pacote de estradas”, referiu Ribau Esteves, lembrando que as intervenções do PRR terão de ficar executadas “fisicamente” até ao final de 2026. “É preciso dar à perna, não perder tempo com nenhum dos passos que são imensos”, alertou.

O PS esteve a favor do acordo. “Congratulamo-nos, ao fim de muitos anos, por iniciar o processo”, referiu o vereador João Sousa, sublinhando que “em ano e meio de trabalho” tenha sido possível tomar uma decisão, a que é não alheio o facto do titular do ministério das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, ser da região de Aveiro. O eleito socialista lembrou ainda o empenho do governante na ligação ferroviária Aveiro – Salamanca. “Se o ministro Pedro Nuno Santos pudesse dar uma perninha no hospital também teríamos algo mais nesta altura”, concluiu .

Viajar entre as duas cidades em cerca de 10 minutos

» Estima-se que a distância entre Águeda e Aveiro percorrida através do Eixo Rodoviário Aveiro – Ágeuda passe a ser de cerca de 14 quilómetros, reduzindo-se em cerca de 40% a extensão do percurso por comparação com a via atualmente em uso. O tempo de viagem será reduzido em cerca de 65%, por comparação com o tempo exigido para percorrer as infraestruturas em uso, de modo a que passe a ser possível viajar entre as duas cidades em cerca de 10 minutos – Consultar informação camarária de Águeda de 4 de março de 2021 sobre acordo com IP.

Publicidade, Serviços & Donativos