Aveiro: CDS denuncia “campanha” para dizer mal da Câmara e presidente critica Alberto Souto

1140
Assembleia Municipal de Aveiro, reunião em Oliveirinha.
Dreamweb 728×90 – Video I

“Há uma campanha orquestrada nas redes sociais que diz mal de tudo o que se faz bem”, acusou o líder da bancada do CDS na Assembleia Municipal de Aveiro, ao intervir no período antes da ordem do dia da reunião realizada quata-feira à noite na freguesia de Oliveirinha.

Jorge Greno começou a intervenção por “salientar o que de positivo tem havido”, nomeadamente referências a Aveiro “em rankings e classificações cada vez melhores”, como sucedeu recentemente ao surgir pela primeira vez à frente do rating concelhio global de 2019 da Marktest, que analisa o dinamismo dos municípios.

“Resulta do trabalho da autarquia e das empresas, da promoção e atratividade de Aveiro, é benéfico para todos nós, achamos que é o caminho a seguir e que serve todos”, comentou.

O vogal do partido popular aproveitou para insurgir-se contra as vozes críticas, a quem não reconhece razão. “Há uma campanha orquestrada nas redes sociais que diz mal de tudo o que se faz bem. De quem nunca fez e vai dizer mal. Por outro lado, temos uma cidade com novas profissões: advogados com especialidade em botânica, arquitetos com especialidade em paisagistas, toda a gente percebe tudo de tudo, opiniões que valem mais do que estudos da universidade , estudos técnicos da Câmara, acham que são melhores”, ironizou.

“Estamos claramente de acordo com a Câmara tem seguido, apoiamos por fazer ,trabalho e obra que bem faltava e que vai contribuir para o desenvolvimento”, rematou.

“Fui alvo de insultos partidários com palavras horríveis” – Ribau Esteves

Ribau Esteves pegaria no mote. “Vamos falar um dia destes sobre o ranking da Marktest e de outros, porque, de facto, hoje há este tendência no mundo de dizermos mal de nós próprios”.

Para o edil, “devemos chamar a atenção para o que está errado, claro, em democracia é importantíssimo. Mas devemos cuidar da má língua, que dá cabo de nós, dá cabo da nossa reputação, tira atratividade, ninguém gosta de visitar ou dar-se com gente que sistematicamente se dedica à má língua, da mentira, do insulto gratuito. Não é preciso para fazermos oposição uns aos outros, temos argumentos, inteligência”.

Ribau Esteves apontou ‘baterias’ ao PS, pelas referências que lhe foram feitas em conferência de imprensa e também criticou intervenções de Alberto Souto, antigo edil e Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações ao reagir numa discussão no Facebook sobre a dívida municipal.

“Ainda hoje fui alvo de insultos partidários com palavras horríveis. É preciso ter cuidado que nós somos gestores da imagem do nosso município também. E eu não acho útil que governantes andem nas redes sociais, em vez de estarem a governar, a explicar a dívida da Câmara de há 14 anos, interessa a alguém isso ? Têm a ideia que deixaram de ser presidentes ontem, já foi há 14 anos, que governem e que governem e bem, não andam nas horas de serviço, e as do governante são 24 horas e sete dias da semana, a destilarem justificações que não interessam para nada, muito menos para o desenvolvimento e crescimento do município”.

Discurso direto

“Tenho muita simpatia pelo presidente da Câmara, mas deixe-me dizer-lhe o seguinte: primeiro fixou a questão das mentiras, que devíamos ter todos algum juízo, alguma calma na gestão da causa pública, nomeadamente à profusão das mentiras. Deixe-me dizer-lhe que o justificou essa altercação nas redes sociais foi um comentário do líder da bancada municipal do PSD que disse que a dívida era de 250 milhões, o que é absolutamente falso. Não quero discutir a dívida. Depois o presidente disse que o governante, que tem nome, é o dr. Alberto Souto, teria feito nas horas expedientes, que são 24 horas, essa intervenção nas redes sociais. Essas 24 horas são as mesmas do presidente de Câmara e também tomou atenção a esse pormenor a que não atribuiu importância e diz não ter relevância. Deixe-me devolver essa mesma consideração, sentimos que o presidente da Câmara se terá excedido em relação ao dr. Alberto Souto” – Pedro Pires da Rosa (PS)

“Não desconsiderei ninguém. O dr. Alberto Souto nem pertence a esta bancada embora a sua alma mater ande sempre aqui a perturbar as cabeças dos camaradas socialistas, mas isso é um problema vosso. Não o ofendi. A dívida da Câmara está discutida tantas vezes durante seis anos, é dossiê terminado. Agora está lá muitas vezes dito os 250 milhões. É o que é, é da vída. Foi convidado este ano pela Ordem dos Contabilistas Certificados para falar na apresentação do anuário. Finalmente Aveiro voltou a ter contas dignas, até aqui era a ovelha negra, dos piores. Antes estamos mal, não está tudo resolvido, mas já estamos em onda boa. Saímos do buraco, resolvemos o problema e queremos prosseguir a recuperação financeira” – Ribau Esteves.

Artigo relacionado

Aveiro: PS defende maior atenção da Câmara às queixas das pessoas

Publicidade, Serviços & Donativos