ADASCA pede donativos para continuar a fazer recolhas de sangue

569
Imagem ADASCA.
Dreamweb 728×90 – Video I

Com 13 anos de atividade, a Associação de Dadores de Sangue do Concelho de Aveiro (ADASCA) está “a passar por momentos financeiros difíceis”, tendo lançado um apelo “ao apoio de todos” para conseguir donativos que permitam “fazer face às despesas diárias”.

A associação de dadores benévolos, que tem o seu posto instalado nas galerias comerciais do mercado no bairro de Santiago, não cobra cotas nem joias aos sócios “e o apoios oficiais são escassos”.

“Se se tratasse de uma empresa entrava hoje em processo de insolvência”, admitiu o presidente da ADASCA num comunicado em que é divulgado o calendário de colheitas de sangue para dezembro.

“A notória falta de apoios financeiros das entidades que nos devia apoiar é flagrante e constante. Dada a sua natureza jurídica e actividade que desenvolve é de todo impossível converter os seus resultados de cada sessão de colheitas de sangue em fins lucrativos”, refere Joaquim Carlos.

A ADASCA conta com a ajuda dos cidadãos para “prosseguir” com a “missão” e manter “o pensamento virado para aqueles que dependem dos componentes sanguíneos todos os dias”.

Os donativos podem ser entregues na sede no decorrer das colheitas de sangue (ver datas).

Para ser dador de sangue, é preciso ter entre 18 e 65 anos (até aos 60 anos, se for uma primeira dádiva), hábitos de vida saudáveis e peso igual ou superior a 50 kg.

Entre os 210 mil dadores em Portugal, apenas 13% são jovens entre os 18 e os 25 anos, nota a ADASCA.

Publicidade, Serviços & Donativos