Vagos: GOP ambiciosas sem aumentar impostos locais

992
Edifício da Assembleia Municipal de Vagos.
Dreamweb 728×90 – Video I

A Câmara de Vagos aprovou, com uma abstenção, o orçamento para 2019, que é considerado pela maioria PSD como um documento “responsável e ambicioso” mas “sem aumentar os impostos aos munícipes”.

A proposta de Grandes Opções do Plano (GOP) passa os 22 milhões de euros, o que representa um aumento de cerca de 1,7 milhões de euros em relação ao orçamento do ano transato.

“Este é, conscientemente um orçamento bastante ambicioso, para o qual será necessário um forte investimento”, refere um comunicado.

A Câmara lembra que nos últimos anos o crescimento económico verificado no Concelho “é notório, sendo também o resultado das escolhas e das apostas do executivo municipal”.

O Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) permanecerá na taxa mais baixa permitida por Lei.

No que diz respeito às despesas de investimento previstas no Plano Plurianual de Investimentos (PPI), o executivo destaca o aumento de cerca de 2,2 milhões euros, em relação a 2018.

A “grande aposta para 2019 assentará essencialmente em ações que se enquadram nas funções económicas da autarquia.”

Desde 2013 que o volume de negócios das empresas vaguenses tem vindo a crescer, tendo sido atingido em 2016 os 558 milhões de euros de volume de negócios. Um aumento de 177 milhões de euros, em relação a 2013.

As exportações passaram de 133 milhões de euros em 2013 para 215 milhões de euros em 2016, o que coloca o município de Vagos como o 58º Município mais exportador do país.

Das ações previstas nas GOP é dado relevo à onntinuação da empreitada da estrada Rines/Sanchequias e a infraestruturação da parcela B do Parque Empresarial de Soza (2,1 milhões de euros).

Seguirá ainda a obra de requalificação da Zona Industrial de Vagos (ZIV) e a continuidade do projeto do eixo para a Competitividade (ligação da A17 – ZI Vagos – ZI Mota – A25), com um investimento previsto para 2019 de cerca de 1 milhão de euros.

A Câmara anuncia, entre outras prioridades, “o início das intervenções nas escolas do 1º ciclo, nos termos aprovados na Carta Escolar de Vagos”, o arranque das obras de requalificação do Palacete Visconde de Valdemouro para equipamento que o possa servir em todas as dimensões culturais.

No âmbito dos projetos intermunicipais, a Câmara destaca a dragagem da Ria de Aveiro que incluirá o Rio Boco, através da Polis Litoral Ria de Aveiro.

Discurso direto

“O propósito e o objetivo que se pretende alcançar, em união de vontades com toda a comunidade vaguense, encontrados que estão os eixos prioritários, com todo o nosso empenho, vontade e dedicação, é fazer de Vagos uma terra em franco desenvolvimento e crescimento sustentado. No fundo, o que está verdadeiramente em causa é o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas. Reconhecidamente, nestes últimos anos, temos conseguido criar as condições para o crescimento económico, social e cultural do Concelho, honrando a nossa identidade e a nossa história” – Silvério Regalado, presidente da Câmara de Vagos.