“Estamos a progredir” – Ricardo Sousa, treinador do Beira-Mar

1810
Sernache - Beira-Mar (Facebook do Beira-Mar).

O Beira-Mar trouxe os desejados três pontos na deslocação ao penúltimo da série C do Campeonato de Portugal que, perante uma desvantagem pesada, ainda teve ânimo para assustar os aveirenses.

O treinador dos aurinegros, nas declarações após o apito final transmitidas pela rádio Terra Nova, considerou “normal existir intranquilidade”, atendendo a que a equipa vem atravessando “uma fase que não é boa”.

Ainda assim, destacou na vitória por 2-3 “a postura muito boa, desde o início”, assumindo as rédeas do jogo. “Tivemos oportunidades e fizemos dois golos, tínhamos a partida controlada ao intervalo, fomos pragmáticos, sem deixar o Sernache ter uma ocasião de golo na primeira parte”, disse.

“Ao intervalo, devido a esta fase, disse aos jogadores que precisávamos de fazer o terceiro e o quarto. Entrámos bem na segunda parte, com uma bola ao poste, oportunidades e o 3-0. Depois surgiu a grande penalidade assinalada bem. No golo de canto…já vi muitos. Nesta negra em que temos de lutar contras as adversidades, surgiu um canto direto com o peito do pé, o que nunca tinha presenciado”, notou o técnico aveirense, lembrando ainda a motivação do adversário pelos resultados em jogos mais recentes.

“Ao mínimo erro ou oportunidade as outras equipas acabam por nos marcar, hoje conseguimos ultrapassar isso com golos e superioridade”, acrescentou Ricardo Sousa, deixando também uma nota positiva pelo ressurgimento do sérvio Mitrovic após dificuldades evidenciadas nos últimos dois anos da sua carreira, “demonstrando que pode ser uma mais valia e ganhar confiança, porque precisamos da ajuda de todos e estamos a progredir”.

Discurso direto

“Isto é uma equipa fantástica, de miúdos, que às vezes comete erros, como aconteceu na primeira parte, por duas vezes, por imaturidade. Mas demonstrámos o trabalho que temos feito durante a semana, a jogar contra uma equipa fortíssima, é candidata, está muito bem orientada e joga bem. Tentámos abrilhantar o jogo, conseguimos uma reação que é apanágio da nossa equipa, com dois golos. Fomos à procura do terceiro, mas não conseguimos com mérito do Beira-Mar. Tivemos a condicionante da ausência do guarda-redes principal, por motivos internos” – Manuel Pinho (treinador do Sernarche).

Artigo relacionado

Beira-Mar regressa às vitórias em Sernache com ponta final tremida (2-3)

Publicidade, Serviços & Donativos