“Vidente de Fátima” absolvido do crime de burla

251
Tribunal de Ovar.
Smartfire 728×90 – 1

As provas não foram suficientes para convencer o tribunal de uma possível “conduta enganosa” do arguido.

Na leitura do acórdão, esta tarde, a juíza considerou que “não foram provados factos essenciais que sustentavam o criem de burla”, refere o Jornal de Notícias.