Vagos tem acordo com o Governo para aceitar competências da Saúde

1115
Concelho de Vagos.
Dreamweb 728×90 – Video I

O presidente da Câmara de Vagos anunciou na última Assembleia Municipal que, “após muitas interações, já existe um acordo de princípio com o Governo que permite aceitar a transferência de competências na área da Saúde para a ‘alçada’ municipal.

A presença do ministro da Saúde, Manuel Pizarro, no concelho, terça-feira próxima, para a inauguração da Unidade de Saúde Familiar (USF) em Ponte de Vagos, que servirá o sul do concelho, será aproveitada para  assinar o respetivo auto de transferência, que ficará, depois, apenas, a aguardar ratifcação dos orgãos municipais.

“Felizmente, as negociações conduziram a resultados bastantes positivos”, referiu o edil vaguense eleito pelo PSD, mostrando especial satisfação com “garantias” governamentais” que vão ao encontro de algumas exigências locais. “A criação da USF da zona é uma extraordinária notícia para os vaguenses, não terá ainda reflexos imediatos, mas com os contratos da USF dos Lagos e USF de Nossa Senhora de Vagos, nós teremos oportunidade de ver todos os vaguenses, uma enorme maioria, com médico de família, o que não acontece em todo o país, pelo contrário tem aumentado o número de utentes sem médicos. Teremos esse problema, pelo menos numa parte muito significativa, solucionado”, explicou Silvério Regalado.

Reabertura de unidades de saúde há muito sem médicos e dinheiro para obras

O acordo com Vagos garantirá, ainda, “condições” para reabrir as unidades de saúde de Covão do Lobo e Gafanha da Boa Hora “em número de médicos e dias” a definir, através de protocolo com a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC). Com a instalação de novas USF em Soza e Nossa Senhora de Vagos, torna-se necessário proceder a melhorias nos respetivos edifícios, havendo garantia de apoio estatal “por escrito” um valor aproximada de 1,7 milhões “para fazer estas duas requalificações”, com apoio do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

O edil informou também que Vagos concorda com criação da Unidade de Saúde Local da Região de Aveiro, que considerou “um modelo benéfico para os municípios e hospital de Aveiro”. Sobre a “magna questão” da ampliação do hospital de Aveiro, a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro tem a garantia que “é uma das apostas do Governo enquanto obra de futuro”, portanto, “uma unidade mais reforçada em termos de competências traz benefícios para os concelhos vizinhos”, como Vagos.

“Assumi o risco em nome de todos, espero que compreendam, porque nesta interação com o Governo era preciso tomar decisões”, disse Silvério Regalado, para quem no “global” o resultado da negociação é positivo para Vagos, deixando um elogio ao ministro e sua equipa pelo trabalho desenvolvido, apesar manter a sua opinião de que a ação governativa no sector continua a ser “negativa”.

A transferência de competências na área de saúde deverá ocorrer a 1 de janeiro de 2024.

Artigo relacionado

Assembleia Municipal de Vagos defende manutenção de cuidados de saúde locais

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.