Vagos: Reveladas apostas camarárias para 2022

1218
Concelho de Vagos.
Dreamweb 728×90 – Video I

A proposta de orçamento municipal para 2022 aprovada pela Câmara de Vagos, por maioria ronda 27,522 milhões de euros, mais um milhão de euros que em 2021.

A presidência destaca “a manutenção” da carga fiscal aplicado nos últimos anos, nomeadamente no que toca ao IMI (0,3%). A receita fiscal prevista é de 4,7 milhões de euros, cerca de 170 mil euros a mais do que no ano anterior. “Este aumento justifica-se pelo crescimento das rúbricas do IMI e do IMT, o que é revelador que, apesar das dificuldades dos últimos dois anos, os indicadores da atividade económica se mantêm bastante positivos”, refere a edilidade em comunicado.

As receitas incluem empréstimos de curto prazo, que totalizam 600 mil euros, e de médio e longo prazo, estes num total global de 2.240.000 euros.

A Câmara conta conta com uma redução de 585 mil euros nas despesas correntes, em consequência do corte de cerca de 440 mil euros na aquisição de bens e serviços e de 330 mil euros nas transferências correntes,

Está previsto um aumento de aproximadamente 190 mil euros em gastos com pessoal, “que reflete a previsível integração de trabalhadores decorrente da transferência de competências nas áreas da Saúde e Ação Social, bem como a contratação de recursos para fazer face ao aumento das competências municipais”.

As despesas de capital atingem cerca de 11,5 milhões de euros, “o que significa um aumento de 1,7 milhões de euros face ao orçamento de 2021, refletindo os investimentos que decorrerão no município em 2022.”

O plano plurianual de investimentos das Grandes Opções do Plano (GOP) aponta para um investimento na ordem dos 11,1 milhões de euros. Nas funções sociais, será feito um aumento do investimento em cerca de 5 milhões de euros relativamente a 2021, “com enfoque na implementação da Estratégia Local de Habitação, no objetivo de reduzir as desigualdades sociais ainda existentes”.

Alguns dos investimentos camarários

Ordenamento do Território – Regeneração urbana através da requalificação da Rua da Fonte. Este é um investimento estratégico que melhorará a qualidade de vida dos residentes bem como melhorará significativamente o acesso às praias do concelho;

Serviços culturais, recreativos e religiosos – Cabimentada verba de 2,8 milhões de euros, sendo que metade será aplicada na Reabilitação do Palacete Visconde de Valdemouro. Construção do Centro Náutico e Piscatório da Praia da Vagueira;

Funções económicas – Conclusão da requalificação da Zona Industrial de Vagos e a infraestruturação da parcela B do Parque Empresarial de Soza e na execução das infraestruturas dos restantes polos industriais.

Transportes e comunicações – Início do investimento relativo ao Eixo para a Competitividade – Ligação da ZIV à A17, com a aquisição de terrenos para a sua execução.
A construção de pistas cicláveis continuará a fazer parte da estratégia que tem vindo a ser implementada nos últimos anos;

Turismo – Criação de um museu que retrate a arte xávega no concelho de Vagos.

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.