Vagos: Autarquia quer salvaguardar ao máximo fachadas do antigo Palacete Visconde de Valdemouro

1291
Palacete Visconde de Valdemouro (foto no Facebooj de Paulo Grave).
Dreamweb 728×90 – Video I

O presidente da Câmara de Vagos continua convicto que será possível salvaguardar a fachada do Palacete Visconde de Valdemouro, após a derrocada parcial ocorrida em setembro de 2022 quando já decorriam obras de requalificação do histórico edifício localizado no centro da Vila que serviu, entre outras funções, como Paços de Concelho.

Artigo relacionado

Vagos: “Aspeto exterior” do Palacete Visconde de Valdemouro “será exatamente o mesmo” – presidente da Câmara

Segundo explicação dada por Silvério Regalado (PSD) a um pedido de informação do CDS na reunião do executivo, os trabalhos de restauro nunca chegaram a parar.

“O que se fez foi a suspensão de parte da empreitada, mas a outra parte, a parte nova nunca parou. O ponto de situação da parte antiga é que nós já enviámos todos os dados à entidade que irá fazer a avaliação da envolvente e dos eventuais motivos para a derrocada. Estamos a aguardar pelos resultados, mas mais importante do que isso é que as coisas estejam a andar”, adiantou o edil.

A autarquia aguardava a finalização do novo projeto estrutural e da avaliação técnica “daquilo que podia ficar e daquilo que tem que ir abaixo”.

De acordo com o presidente, “a estrutura do edifício foi toda mexida e quase que em termos de construção civil se justificava pôr tudo abaixo e começar de novo. Não é isso que pretendemos. O que se pretende é deixar ao máximo. Pelo menos a fachada principal tem que ficar de pé, sendo que depois o trabalho final, a execução final do edifício tem de ficar exatamente igual”, explicou.

Mesmo o que se decidiu pôr abaixo “vai ser reconstruido tal e qual como está, talvez com uma exceção, relativamente ao posicionamento das paredes centrais. Se pudermos alargar o espaço da Assembleia Municipal”.

Relativamente ao financiamento, além do financiamento garantido a edilidade estuda a hipótese de incluir também uma outra parte da obra no Portugal 2030, evitando ter de recorrer a um empréstimo.

A empreitada orçada em 4,2 milhões de euros contempla a criação de um auditório com capacidade para 350 pessoas.

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.