Uma problemática ou uma pedra no sapato?

1919
Vigília Cultura e Artes, Aveiro.

Centenas de pessoas organizaram-se, 17 cidades participaram numa acção conjunta de chamada de atenção à sociedade: a Vigília Cultura e Artes foi o início.

Por Ivo Prata *

Quando a classe laboral está silenciosa tudo parece estar bem, mas são só as forças que mingam um pouco, é o cansaço da luta que tem de dar espaço à criação, nem que seja de riqueza. Mínima, de sobrevivência.

Neste tempo pandémico assistimos ao emergir de vozes dos trabalhadores do tecido cultural, (com funções artísticas, passando pelas técnicas e de gestão/produção). Todos.

Com as vozes surgiram movimentos de união de seres e pessoas que querem perceber como conseguirão sobreviver mas que também exigem mudança. Na protecção laboral, social, com estatuto próprio.

Centenas de pessoas organizaram-se, 17 cidades participaram numa acção conjunta de chamada de atenção à sociedade: A Vigília Cultura e Artes foi o início.

O cenário não é de agora, mas o confinamento permitiu abrir o pano, subir ao palco e mostrar os bastidores ao público. E ao não-público também.

Este ‘backstage’ não é bonito, não tem estética ou engenho cuidados e a dramaturgia… essa é quase inexistente.

Esperamos por uma reposição. Estamos dispostos a discutir, a voltar à cena. Mas com dignidade. E a tutela, está?

Ver apresentação vídeo

* Actor, arte-educador, técnico e produtor.

Publicidade, Serviços & Donativos