UA /Associação Académica: Nova liderança traçou prioridades e lembrou problemas com transporte e alojamento

2383
António Alves , presidente da AAUAv.

António Alves tomou posse esta quinta-feira à noite como presidente da Associação Académica da Universidade de Aveiro (AAUAv) propondo-se “continuar a fazer, mais e melhor”. Desafiou a Reitoria a usar a oportunidade do fim dos mestrados para “inovar” e deixou também um pedido à Câmara, para melhorar “a fraca” rede de transportes.

O ex-vice-presidente para o Desporto e Cultura na direção anterior liderada por Xavier Vieira retomou uma das ideias força da candidatura, que é “fazer sentir a academia”. Algo que “não nasce do acaso, mas sim de uma visão diferenciadora, com relação de proximidade entre a academia e a instituição”, sublinhou na intervenção de encerramento da cerimónia.

Nesse sentido, a nova equipa está empenhada na “implementação de políticas e grandes projetos”. Desde logo, “e com máxima prioridade”, a revisão estatutária da AAUAv. Uma década após a última, torna-se “urgente”, devido ao “distanciamento à realidade atual”.

Licenciado em Ciências Biomédicas e atual aluno de mestrado em Biomedicina Molecular, António Alves, relembrou outras propostas, como “dinamizar as ‘catacumbas’, reforçando a presença dos estudantes no coração do campus, estender “a realidade académica” às escolas politécnicas ou criar uma oferta cultural “diversificada”, integrando a candidatura a Capital Europeia da Cultura lançada pela autarquia.

O desporto, onde a AAUAv hoje tem uma atividade destacada, irá ser usado também para dar “um passo em frente na afirmação internacional”. Aveiro irá receber a conferência – gala dos 25 anos da Associação Europeia de Desporto Universitário (EUSA), mas também apresentar candidaturas a receber competições desportivas universitárias.

Em março, a discussão sobre o presente e o futuro do ensino superior irá ser feita em Aveiro, com um Encontro Nacional de Direções Associativas (ENDA) e uma convenção nacional.

O novo presidente da AAUAv apelou à Reitoria para a “UA fazer diferente, melhor e de forma inovadora” aproveitando o fim dos mestrados integrados. “É uma oportunidade para sermos o que sempre fomos: pioneiros; redesenhar a universidade e quem sabe a própria organização do ensino superior”, disse.

António Alves deixou ainda pedidos à Câmara de Aveiro. “Existe uma percentagem significativa de estudantes deslocados, que não vivendo nas imediações, recorrem à fraca rede de transportes públicos. Francamente, demonstra-se incapaz de responder às necessidades dos estudantes. Para quando uma rede digna de uma grande cidade como é a UA ?”, questionou.

Sensibilizou a edilidade, também, para ter “um papel mais interventivo na regulamento do alojamento”, assegurando melhores condições para os alunos.

Discurso direto

“Ser dirigente estudantil ajuda a formar e a criar a personalidade, o que também é muito importante. São 14 mil estudantes. A AAUAv é uma entidade que tem transformado a universidade, que a tem feito crescer, a chegar a patamares ainda mais elevados. Temos total disponibilidade para acompanhar este projeto, dar solidez e levar a universidade para outros níveis” – Paulo Jorge Ferreira (reitor da UA).

“Aquilo que temos pela frente é um desafio imenso, para sermos uma comunidade mais competente, uma cidade mais desenvolvida em termos urbanos, mais coesa em termos sociais. Um campus mais intimamente relacionado com a cidade, uma ligação com mais qualidade e competência, aproveitar os mecanismos de uma cidade tecnológica. O desporto e cultura são grandes desafios, vamos trabalhar em equipa” – Ribau Esteves (presidente da Câmara de Aveiro).