Sete anos e meio de cadeia para homem que manteve relações sexuais com prima de 12 anos

1624
Tribunal de Aveiro.
Comercio 780

Um homem de 39 anos residente em Santa Joana, Aveiro, foi hoje condenado a sete anos e meio de cadeia, em cúmulo jurídico por quatro dos cinco crimes de abuso sexual de criança a que estava condenado.

O arguido, serralheiro, casado e com filhos menores, terá ainda de pagar uma indemnização de 10 mil euros à vítima, sua prima em segundo grau.

Apesar de negar os factos ocorridos em 2016 e 2017, embora assumindo os contactos, o tribunal concluiu pela existência de provas do relacionamento com a menina, então de 12 anos, desde logo o depoimento incriminatório desta e registos de conversas pelas redes sociais.

A pena foi agravada atendendo à relação familiar, tendo o arguido aproveitado a proximidade para consumar relações sexuais, incluindo de cópula completa, em sua casa e por uma vez num barraco.

“Pela sua postura em tribunal, poderia não esperar esta pena, mas existe prova segura. São crimes muito graves e de penas elevadas, que fica próximo do mínimo, atendendo a que não tem antecedentes e está bem integrado”, referiu, em jeito de comentário final, o juiz presidente.

As penas parcelares variaram entre quatro anos e nove meses e cinco anos.

A menina foi retirada à família pelas autoridades na sequência deste caso, estando atualmente institucionalizada.

Comercio 780