Roubo de idosa foi a ‘gota de água’ que colocou mulher na cadeia

1742
Tribunal de Aveiro.
Comercio 780

Uma mulher de 39 anos que roubou, por esticão, o cordão de ouro de uma comerciante octogenária da cidade, foi condenada a três anos e nove meses de prisão efetiva, esta manhã, pelo Tribunal de Aveiro, após oito penas em que escapou sempre à cadeia.

A arguida, atualmente desempregada e inserida num tratamento com metadona devido a longo historial de consumo de droga, acumula desde 2012 inúmeras condenações em multas e penas suspensas, por diversos crimes, desde burlas, furtos, falsificação de documentos, posse de arma proibida ou tráfico de droga de menor gravidade.

Durante o roubo agora julgado, que remonta a janeiro de 2019, a mulher entrou no estabelecimento de uma lojista de 85 anos, que estava sozinha, a pretexto de ver uns pijamas à venda.

Num gesto brusco, tentou arrancar à idosa a volta de ouro do pescoço, mas só conseguiu imobilizá-la com recurso a força física, atirando-a ao chão, enquanto também pronunciava ameaças de morte.

Uma parte mais pequena da peça acabaria por ser vendida logo a seguir numa loja de valores por 60 euros, tendo sido recuperada pela vítima.

Além da condenação a três anos e nove meses de prisão, o tribunal determinou que a arguida pague uma quantia de 600 euros a título de perda de vantagem a favor do Estado.

“Não se verificam os pressupostos da suspensão da pena, que seria admissível uma vez que é inferior a cinco anos. Quando cometeu este roubo agravado, pela fragilidade da vítima, estava há quatro meses com pena suspensa. Apesar das sucessivas suspensões não foi capaz de em liberdade interromper a dependência e a criminalidade. Uma nova suspensão seria mal entendida pela comunidade”, afirmou a juíza presidente durante a leitura resumida do acórdão.

Publicidade, Serviços & Donativos