“Quando sofremos um golo, a equipa desistiu completamente” – Miguel Valença, treinador do BM

1283
Beira-Mar - Machico.
Comercio 780

O Beira-Mar permitiu a recuperação do Machico no marcador de uma desvantagem de três golos, nos últimos minutos do jogo disputado este domingo, cedendo um empate caseiro muito castigador que trava, uma vez mais, a ambição de subir para lugares mais confortáveis na classificação da série B do Campeonato de Portugal (CdP).

Artigo relacionado

Futebol / CdP: Beira-Mar cedeu empate (3-3) com Machico após chegar ao 3-0

Miguel Valença, que se estreou no comando técnico dos aveirenses, ficou surpreendido com as facilidades dadas pela sua equipa depois de ter alcançado uma vantagem muito confortável.

Em declarações divulgadas pela rádio Terra Nova, o treinador lamentou que a equipa se tenha esquecido que o jogo tem 90 minutos. “Culpa nossa, culpa nossa. Só quisemos jogar 75 minutos, em que já vimos a qualidade introduzida nesta duas semanas de trabalho”, disse, considerando que “não ficava mal” se o resultado tivesse chegado a desnível a favor dos locais ainda maior, atendendo às oportunidades criadas e controlo de jogo.

“Quando sofremos um golo, a equipa desistiu completamente. É isto que temos de mudar. Sem entrar em pormenores, o que temos de tirar deste jogo é que temos de jogar nos 90 minutos conforme aquilo que os jogos nos pedem e trabalhamos durante a semana. Nunca pensei sofrer três golos a ganhar 3-0, a jogar bem. O futebol é isto. Temos de perceber o que correu menos bem nos últimos 15 minutos, em que não fomos competentes e perdemos dois pontos. Não tivemos tempo ainda de cuidar destes aspetos ao nível da mentalidade”, referiu Miguel Valença.

Mesmo depois de sofrer o primeiro golo do Machico, a equipa poderia ter aumentado a vantagem e ‘matar’ definitivamente a reação do adversário, pecando na finalização. “Marcaram três golos nos últimos minutos porque tiveram mais alma e vontade de vencer do que nós”, acrescentou o técnico aveirense, notando, pela negativa na sua equipa “desconcentrações”, nomeadamente no plano defensivo. “Neste jogo, fomos a equipa que merecia mais, a culpa é nossa, numa vantagem de 3-0 nunca pode acontecer deixar empatar”, concluiu.

Na próxima quarta-feira, o Beira-Mar desloca-se a Viseu para defrontar o Académico local em partida a contar para os ‘oitavos-de-final’ da Taça de Portugal. Um jogo que tem transmissão no Canal 11 (20:10). No domingo seguinte, o terceiro jogo na mesma semana, com a receção ao Camacha no arranque da segunda volta do CdP.

Discurso direto

“Foi muito difícil, pela qualidade deste adversário, com novo comandante e os jogadores com a mudança de treinadores querem-se mostrar. Temos perdido pontos nas bolas paradas, trabalhámos muito isso, mas hoje sofremos dois golos de canto e um penálti. Aconteceu um golo cedo, depois sofremos grande pressão. Na segunda parte tivemos de fazer mais qualquer coisa. Tínhamos mais posse e oportunidades quando sofremos o segundo, uma falha nossa de concentração. Desmanchou a nossa estratégia. O 3-0 deixou a equipa animicamente muito em baixo. Ainda assim, fizemos 3-1. Depois o futebol tem momentos destes, surgiu o 3-2 e a equipa acreditou. O Beira-Mar baixou o bloco, fomos à procura do terceiro golo, que foi realmente de um grande nível. É um ponto muito importante, num campo difícil. É um prémio” – João Oliveira Pinto, treinador do Machico.

Ficha de jogos, resultados e classificação via FPF.

Facebook Campeonato das Oportunidades

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.

Comercio 780