PSD de Ovar está arrependido de ter apoiado a extinção das freguesias de Arada, Ovar, São João e São Vicente

2017
Paços de Concelho de Ovar.
Dreamweb 728×90 – Video I

A Assembleia Municipal de Ovar aprovou, por unanimidade, no passado dia 3 de Outubro, a Moção apresentada pelo PSD pela reversão da reforma administrativa que, em 2012, determinou a extinção das freguesias de Arada, Ovar, São João e São Vicente de Pereira.

O Partido Socialista de Ovar, através dos seus Deputados na Assembleia Municipal, contribuiu, com o seu voto favorável, para a aprovação deste documento, em consonância com a oposição desde sempre assumida pelo PS Ovar à reforma administrativa e à consequente extinção de freguesias no Concelho de Ovar.

Na discussão da Moção, o Deputado Municipal Frederico de Sousa Lemos realçou, em nome do PS Ovar, que a Moção apresentada pelo PSD “não é mais que uma tentativa de acto de contrição daqueles que foram os únicos responsáveis pela extinção das freguesias do nosso Concelho”. De facto, apesar de em nenhum momento pedirem desculpa à população das freguesias agregadas, “os Deputados do PSD têm, hoje, noção que erraram quando contribuíram para a reforma administrativa que agora dizem querer reverter”, esquecendo que “em 2012, o PSD foi o único partido em Ovar que nada fez para evitar a extinção das freguesias”.

Recordando que, em 2012, o PSD de Ovar recusou juntar-se aos demais partidos que, no nosso Concelho, uniram esforços rejeitando a agregação de freguesias imposta pelo Governo, o PS Ovar lembra que “a Câmara Municipal – à data presidida pelo PS – aprovou um parecer que defendia, junto do Governo, a integral manutenção das 8 freguesias do nosso Concelho. Parecer que Salvador Malheiro – na altura Vereador da Câmara Municipal e Presidente da Concelhia de Ovar do PSD – votou contra”.

Analisando o resultado da agregação de freguesias, “vemos que esta reforma administrativa continua a não merecer o acolhimento da nossa população”, e só não trouxe maior prejuízo para as populações porque “o Executivo da União das Freguesias vem, há 5 anos, a fazer um esforço enorme para que – apesar de este mapa administrativo que nunca quisemos e que não queremos manter – os fregueses de Arada, de Ovar, de São João e de São Vicente continuem a ter acesso aos serviços que tinham, com a mesma proximidade, e com a mesma qualidade”.

Notando que a União de Freguesias manteve abertos os balcões de atendimento em todas as 4 freguesias, “conseguido garantir que a proximidade entre a população e a Junta de Freguesia não seja posta em causa”, o PS Ovar lamenta os obstáculos criados por esta Câmara Municipal que “tanto diz que defende as 8 freguesias do concelho, e na prática trata de forma escandalosamente desigual a população de Arada, de Ovar, de São João e de São Vicente, quando atribuiu a cada uma destas freguesias um apoio financeiro extraordinário equivalente a cerca de 1/3 da verba que atribuiu a Cortegaça, a Esmoriz, a Maceda e a Válega”.

Tal como o Governo do PSD fez em 2012, a Câmara Municipal de Ovar do PSD, em 2018, discrimina Arada, Ovar, São João e São Vicente, como se o nosso Concelho tivesse freguesias de primeira e freguesias de segunda.
Ao contrário do PSD – que defendeu a extinção das nossas freguesias e hoje se mostra arrependido – o Partido Socialista não mudou de opinião.

Somos, como sempre fomos, contra esta reforma administrativa. E defendemos, como sempre o fizemos, a identidade de Arada, de Ovar, de São João e de São Vicente de Pereira, como freguesias autónomas, com órgãos próprios, como as populações desejam e como as populações merecem.

PS de Ovar