PS questiona critérios de intervenção da Câmara de Aveiro em vias com problemas de segurança

1908
Ponte praça, Aveiro.

O PS questionou os “critérios” adotados pela Câmara para intervir em vias (equipamentos e obras de arte) onde sejam detetados problemas, nomeadamente de segurança.

Um assunto levantado pelo vereador Manuel Oliveira de Sousa na reunião do executivo a pretexto do recente fecho ao trânsito de uma ligação intermunicipal entre Nariz e a Palhaça (Oliveira do Bairro), que terá de ser alvo de arranjo.

“O pontão em causa, aparentemente, dá para circular, pelo menos a pé”, notou o eleito socialista a propósito das zonas que a chuva descalçou na Rua do Ribeirinho de Cima, em Nariz.

O corte ao trânsito poderá, no entender de Manuel Olivera de Sousa, “tratar-se mais de um ‘fait-divers’ do que um problema a exigir tão drástica decisão.”

O vereador do PS mostrou-se mais preocupado com a ponte praça (Praça Humberto Delgado) “onde há indícios claros” na plataforma circulante “de acentuadas depressões” e “danos evidentes” naquela que é uma das mais movimentadas artérias e um importante equipamento urbano, que exige “monitorização e resolução dos problemas”.

O presidente da edilidade garantiu que a suspensão do trânsito em Nariz foi determinada “por razões técnicas e com relatórios objetivos”.

“Quem quiser passar a pé passa, o problema são as cargas e o desmoronamento da zona de encontro do pontão, não ele próprio, mas os encontros dos dois lados. Já estava referenciado, daí a cooperação técnica e institucional com Oliveira do Bairro, que está a fazer um projeto muito simples e arranjar empreiteiro. Tem mais obra do lado de Oliveira do Bairro, depois cada um pagará a sua parte”, explicou Ribau Esteves.

Está prevista igualmente uma auditoria técnica à ponte que liga Requeixo a Travassô, devido “a um movimento mais anormal” que será avaliado por uma entidade especializada a contratar.

Sobre as ‘pontes’ no centro da cidade, a Câmara estuda a forma de contrariar “o desgaste devido à perda de alguma capacidade de atrito” dos cubos de granito para tomar medidas no âmbito do projeto de qualificação do Rossio.

“Estamos a analisar se nas pontes vamos manter o granito ou pavimentar. Na Avenida será pavimentado, deixando apenas cruzamentos com granito, eliminando do restante percurso mais pelo ruído”, referiu Ribau Esteves.