Produção de leite: Rendimento para fazer face aos custos de produção

823
Concurso de bovinos.

Depois de muitos anos de luta conseguimos o tão desejado aumento do preço do leite ao produtor. O abandono do setor, a seca, os custos das matérias primas conduziram à diminuição do leite no mercado e consequentemente ao aumento do preço. É a lei do mercado a funcionar, menor oferta conduz a maior preço. Que conclusões tirar desta situação?

Por Marisa Costa *

Gerir a escassez é de fato uma arte. Mais importante que produzir em quantidades excessivas é obter rendimento que nos permita fazer face aos custos de produção e amealhar algum dinheiro para fazer investimentos e acompanhar as exigências de um mercado cada vez mais competitivo. Ser minucioso nos investimentos e definir uma estratégia a longo prazo é fundamental.

O futuro não é animador. Os custos de produção continuam a aumentar devido ao preço do bagaço de soja (já atingiu valores de 615 euros / tonelada) e à falta de forragem de inverno. As fortes chuvas do outono impediram muitas sementeiras de erva cujo preço praticamente duplicou no mercado.

Com um setor cada vez mais envelhecido não tenho dúvidas que muitos produtores irão abandonar a atividade porque preferem encerrar atividade a tornarem-se meros administrativos. Garantir um preço do leite sustentável é a única forma de impedir o abandono dos produtores e o abate de animais.

É imperativo que o governo defina uma estratégia de valorização do setor primário e de captação de jovens para o manter vivo. Os governantes devem refletir urgentemente sobre as estratégias para garantir a soberania alimentar portuguesa.

* Vice-presidente da Associação dos Produtores de Leite de Portugal (APROLEP). Editorial da revista Produtores de Leite (Março 2023).