PCP de Aveiro toma posição sobre Estudo Prévio do Projecto do Rossio

1144
Jardim do Rossio, Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

A Comissão Concelhia de Aveiro do Partido Comunista Português vem tomar posição, sobre a primeira versão do Estudo Prévio do Projecto de Qualificação e sobre os estudos geotécnicos que confirmam “a possibilidade técnica de construção do estacionamento em cave” na zona do Rossio de Aveiro.

O PCP em relação aos diversos aspectos analisados e agora desenvolvidos no Estudo supracitado, sobre a Arqueologia, Infraestruturas Viárias, Tráfego e Procura de estacionamento e Geotecnia, mantém todas as dúvidas atrás apresentadas em diversas tomadas de posição públicas, e que aliás, são preocupações e discordâncias de fundo partilhadas quer por técnicos quer pela população aveirense, que tem protestado em relação a aspectos centrais da transformação pretendida pela maioria PSD/CDS liderada por Ribau Esteves na Câmara Municipal de Aveiro (CMA).

Independentemente de ligeiras melhorias, na ocupação de espaços como os parques infantis ou o aumento da área arbórea, na realidade as nefastas opções de fundo mantêm-se.

Além das dúvidas sobre método e qualidade da prospecção arqueológica e de geotecnia, permanecem para o PCP erros e defeitos, injustificados, que colidem frontalmente com os interesses do desenvolvimento do Concelho(e daquela área em específico). Assim, permanece absolutamente contestável a opção pela construção de um parque de estacionamento subterrâneo naquela área porque não só não estão esgotadas soluções alternativas em áreas centrais da cidade, como por sinal se dá uma inversão total no que são as boas práticas de desenvolvimento urbanístico moderno com a retirada do trânsito e estacionamento do centro das cidades.

O PCP considera particularmente gravoso que a actual maioria PSD/CDS, ao invés de aceitar contributos e escutar as opiniões da população que tanto se tem feito exprimir, insista na construção do parque de estacionamento.

A construção do parque de estacionamento previsto para o Rossio não responde aos problemas de fundo da mobilidade no Concelho e naquela zona em específico, antes responde e obedece a interesses de investimento privado e de especulação imobiliária: num solo até agora público, pretende a CMA autorizar a sua ocupação, mesmo que por tempo limitado, com o único fim em vista do lucro privado e não no interesse de desenvolvimento urbanístico, social e económico do Concelho e daquela área. Nestes termos o PCP considera particularmente gravosa a insistência de PSD/CDS e da sua hierarquização de prioridades e valores, arrepiando os interesses e vontade manifestada pelos aveirenses. É assim particularmente significativo assinalar que as transformações em curso, com ligeiros arranjos à superfície não justificam tão grave erro estratégico.

Mais se estranha que, sendo de conhecimento publico, que a modernização do Rossio pode e será financiada com Fundos Comunitários do Portugal 2020, a maioria PSD/CDS se mantenha refém da sua teimosia.

O PCP apela à população de Aveiro que permaneça empenhada no protesto e reivindicação pelo desenvolvimento integrado e saudável do Concelho, contra as nefastas gula e especulação imobiliária, podendo neste combate contar como sempre com o PCP.

Comissão Concelhia de Aveiro do PCP