Patrulheiros: A maior rede de voluntariado ambiental em Portugal

671
Imagem do Facebook dos Patrulheiros.

Os dados relativos a 2019 em Portugal são reveladores da enorme adesão dos Portugueses ao voluntariado Ambiental

Por José Nuno Amaro *

A APP Patrulheiros, que dá vida à maior rede de voluntariado ambiental em Portugal, vai crescer para uma solução internacional, com a criação de um Fundo Financeiro Ambiental que poderá chegar aos seis milhões de euros daqui a três anos.

Com o lançamento do seu relatório anual, a Associação Patrulheiros aproveitou para apresentar um audacioso programa para os próximos três anos onde se inclui a chegada a todos os municípios portugueses, com a criação dos Patrulheiros Ativos.

Nos próximos três anos cada um dos 308 municípios terá um agente que fará o papel de embaixador entre a sua área de intervenção municipal, os voluntários e as entidades da região.

Cada um dos Voluntários com a função Patrulheiro Ativo receberá um kit especial de trabalho que inclui acesso a formações específicas para apoio na prevenção ambiental e a entrega de uma bicicleta para patrulhas, que, em algumas regiões do país, será elétrica. Esta medida irá criar uma maior área de intervenção e minimizar os atentados ambientais, prevenindo e antecipando-os.

2019 foi marcado pela inauguração do Bosque Madiba, projeto único no mundo em memória de Nelson Mandela, com a presença do seu neto e padrinho, Ndaba Mandela, fundador da África Rising Foudation. Com inauguração marcada para outubro de 2020, este projeto realizado em parceria com o Município da Mealhada e a Fundação da Mata Bussaco, ficará sediado no parque dos Leões na Mata do Bussaco. A verba angariada com a venda das 99 árvores disponíveis, que contam a vida do Líder Africano, será reinvestida em programas de apoio à Mata e nas escolas do concelho, bem com em alguns projetos ambientais em Portugal.

A Associação patrulheiros planeia ainda o lançamento do novo espaço e Centro Operacional de Albergaria a Velha, previsto para maio deste ano, que irá dar apoio aos voluntários do município e que servirá para o desenvolvimento de ações de formação de índole ambiental, patrulhas em bicicleta e suporte às missões já existentes, no local e a nível nacional. Além disso, a Associação irá avançar com aulas de aprendizagem no uso da bicicleta elétrica em todas as suas vertentes, para uso pessoal e profissional.

No verão de 2020, será ainda lançado o novo Centro Operacional de São Jacinto, dedicado à zona costeira e proteção da Reserva Natural das Dunas de São Jacinto, para monitorização das Dunas e o apoio aos visitantes desta região com elevada sensibilidade ambiental.

Finalmente será criado um Fundo Financeiro Ambiental para suporte e apoio a intervenções em Portugal e expansão Internacional da Plataforma Patrulheiros. Este apoio poderá chegar aos seis milhões de euros de investimento em 2023. Canadá, Noruega e Irão fazem parte dos mercados onde já existem parceiros disponíveis para avançar.

Ocorrências

Os dados relativos a 2019 em Portugal são reveladores da enorme adesão dos Portugueses ao voluntariado Ambiental: são já mais de 3500 Patrulheiros espalhados pelo país tendo a sua intervenção ajudado a uma poupança próxima dos 100.000€, nos cofres dos municípios afetados. Para isso foram avaliados os focos das ocorrências nas áreas afetadas e o custo de uma intervenção por uma entidade especializada na remoção e limpeza, via terrestre, marítima e lagunar, caso o mesmo não fosse removido atempadamente.

Número de ocorrências por distrito

– Relatório 2018: Lisboa (22,6%), Porto (17,1%) e Aveiro (16,4%) no Top 3, seguidos por Setúbal (10,9%) e Braga (7%).

-Relatório 2019: Lisboa (27,01%), Porto (17,33%) e Aveiro (16,53%) no Top 3, seguidos por Setúbal (11,29%) e Faro (5,24%).

Tipo de Ocorrências

Entulho (35,88%), Resíduos (lixo espalhado/disperso) (19,35%), Problemas/Perigos na via pública (13,30%), Lixo Florestal (6,45%), Ecopontos cheios e/ou em mau estado (6,85%), Poluição/contaminação das águas (6,04%), Meios de transporte abandonados (4,03%), Animais abandonados ou feridos (3,22%), Ninhos de vespa asiática (1,20%), Problemas na zona Costeira (1,20%), Situação/Risco de Incêndio (0,44%).

Factos

-Apesar de existir um aumento de utilizadores da App Patrulheiros no interior do país, o litoral mantém-se na liderança com maior número de ocorrências registadas.
– Aumento de resposta por parte dos municípios e do número de ocorrências resolvidas: Cerca de 8% das ocorrências foram resolvidas. Municípios mais ativos: Lisboa, Palmela, Loures, Mafra e Maia. Destaque para Faro, que aumentou muito significativamente o número de ocorrências enviadas.

O número de ocorrências enviadas aumentou cerca de 79,5% face ao relatório anterior.

Relatório 2018- 181 ocorrências recebidas (161 ocorrências + 20 testes);
Relatório 2019- 325 ocorrências recebidas (248 ocorrências + 77 testes).

O sexo masculino foi o mais ativo com 84% das ocorrências enviadas, seguidos pelas mulheres com 12,92% e os restantes 3,07% chegaram pela via de entidades/associações.

Sobre a Associação Patrulheiros:

A Associação foi criada em julho de 2018 e atua também nas áreas para a Promoção do Uso da Bicicleta, do Turismo Voluntário, da Inovação Social além da Cidadania Ambiental onde se inclui a APP, o trabalho de monitorização e as Patrulhas em bicicleta.

* Presidente da Associação Patrulheiros. www.patrulheiros.pt

Publicidade, Serviços & Donativos