O regresso do desporto – E agora?…

509
Atividades desportivas náuticas.
Smartfire 728×90 – 1

Portugal começa agora a aligeirar as medidas de confinamento obrigatório, decisão que resulta do excelente trabalho em equipa realizado por todos os cidadãos portugueses. Este jogo ainda está no seu início mas depois desta entrada desastrosa, estamos a reagir como se impõe. E vamos, seguramente, vencer este dificílimo adversário. Juntos como até aqui.

Por Fernando Santos *

O coronavírus veio causar uma mudança súbita, indesejada e profunda, nas nossas vidas. Todos sofremos o impacto desta mudança brusca e todos, sem excepção, fomos forçados a reinventar-nos. Nenhum de nós estava realmente preparado para este impacto pois nunca nenhum de nós passou por algo semelhante anteriormente… O universo desportivo sofre hoje os efeitos desta paragem súbita e impreparada das suas rotinas preparatórias e competitivas, bem como a incerteza em relação ao seu regresso à normalidade. Sonhos à espera de serem desobstruídos, percursos ansiosos por serem reajustados, famílias desportivas saudosas de reencontros.

A incerteza parece crescer a cada dia. Quando poderemos sair com segurança das nossas casas? Quando sairmos, como será até conseguirmos a vacina? Como se farão os treinos e as competições das diferentes modalidades? Haverá o requisito de todos usarmos máscara, por exemplo, num estádio de futebol, numa piscina ou num pavilhão? Como vamos reagir se a pessoa ao nosso lado tosse ou espirra para cima de nós? Como será a próxima temporada? Agora que já temos a experiência de que uma época pode ser interrompida abruptamente, como é que isso condicionará a forma como abordaremos as seguintes?

Depois de 50 dias de quarentena, as notícias são hoje mais animadoras! Portugal começa agora a aligeirar as medidas de confinamento obrigatório, decisão que resulta do excelente trabalho em equipa realizado por todos os cidadãos portugueses. Este jogo ainda está no seu início mas depois desta entrada desastrosa, estamos a reagir como se impõe. E vamos, seguramente, vencer este dificílimo adversário. Juntos como até aqui.

O desporto está de regresso! As primeiras modalidades a reactivarem a sua prática são as individuais e de exterior. Aos poucos está previsto o regresso das restantes, de forma faseada e sempre tentando garantir a máxima segurança aos seus praticantes. Como em todos os regressos após uma longa paragem, a excitação e ansiedade estão prontas para te “pregarem partidas” se o permitires. Então e agora?!…

Quando ficamos muito tempo afastados da prática da nossa modalidade nada nos garante que regressemos do mesmo modo como terminámos. Antes da interrupção podias estar a jogar muito bem e pensas que esta paragem não abalou a tua qualidade. Ou podias estar a passar dificuldades com os teus desempenhos e agora não duvidas que o teu jogo está pior. Seja como for, o regresso não tem que ser intimidante ou assustador. Antes pelo contrário. Aqui ficam algumas dicas para o regresso após esta longa interrupção, para disfrutares e conseguires melhorar ainda mais o teu nível:

Preparação: “A preparação bate o talento sempre que o talento falha a preparar-se”. Se trabalhaste bem durante esta fase difícil, então mantiveste-te focado em fazer de cada dia uma oportunidade de crescimento. Cuidaste das tuas rotinas, da tua alimentação, das tuas horas de sono, da tua aprendizagem, do teu descanso. Aproveitaste esta oportunidade para ouvir a tua voz interior e te conheceres ainda melhor. Para escutares e te ligares mais profundamente aos teus. Este foi e continuará a ser um grande teste à tua adaptabilidade, ao teu compromisso e à tua superação. Se aproveitaste estes 50 dias para descansar e te desligares do que diariamente fazes, talvez seja um bom momento para reflectires se estarás mesmo a fazer o que gostas? Será que estás nisso por ti ou para agradares outros? Se for para agradares outros, aproveita e ganha coragem para mudares. Está na hora de seres feliz.

Aprender a Ver: “Sê tu próprio; todos os outros já estão tomados”. Estes 50 dias de confinamento forçaram-nos a estar em casa. Muitas vezes a sós. Connosco. Felizmente, com os meios que hoje temos à nossa disposição, nunca foi tão fácil continuar a aprender. A escola encontrou a solução na tele-escola e nas videochamadas/videoconferências.

Paralelamente, o teu crescimento desportivo deve também continuar a assentar no contacto (ainda que virtual) frequente com os teus colegas e treinadores e no cumprimento das indicações dadas pelos últimos. Provavelmente faltar-te-ão as condições ideais de equipamentos, materiais ou espaço para poderes simular eficazmente um treino, tendo que te limitar ao confinamento a que estamos todos remetidos. Aproveita ao máximo os recursos que tens mas não te fiques por aí quando podes aprender tanto a ver os outros. Youtube, Netflix e outras plataformas similares são excelentes para alargares o teu conhecimento através da experiência alheia De descobrires novas formas de exprimires a tua singularidade. De te inspirares e superares.

Regresso Consciente: É natural que, sobretudo os gestos técnicos que carecem de mais treino e repetição, as coisas não saiam logo bem à primeira. O dia do regresso à actividade será um forte misto de excitação e ansiedade. A tua cabeça disparará dúvidas sobre os teus primeiros momentos, os dos teus colegas, inclusive sobre as condições (novas) em que decorrerá o treino. É muito importante conseguires abrandar essa intensa actividade cerebral. Aqui ficam cinco sugestões:

Chega cedo: Quando não jogamos há muito, é importante chegarmos bem cedo ao campo. Não há nada pior para nos tirar o ritmo e até propiciar o surgimento de lesões do que chegarmos tarde ou em cima da hora.

Aquece bem: Chegares uma hora mais cedo dar-te-á a possibilidade de verificares o local, de aqueceres bem e de te acalmares antes do início. Ser rápido sem ser apressado é o objectivo.

Inicia devagar: Para chegares a conseguir ser rápido no teu regresso deves reiniciar a tua actividade devagar. Um bom aquecimento, um correcto trabalho de visualização e a eficaz preparação da tua voz interior para resistires às inúmeras “desculpas” que o teu cérebro te dará permanentemente para nem sequer tentares são decisivos para teres a qualidade que desejas no teu regresso.

Simplifica: Faz o que sabes fazer melhor. Terás certamente o tempo necessário para mostrar as novas técnicas que foste trabalhando durante estes quase dois meses de confinamento. Mantém a paciência que tens revelado e permite que o teu jogo evolua do mais simples para o mais complexo de modo a que a tua confiança retorne com ele.

Diverte-te: O máximo que conseguires! Estás vivo e a fazer o que gostas! Há lá coisa mais positiva do que esta? Uma última sugestão: baixa as tuas expectativas nos primeiros treinos após o regresso. Se te permitires falhar encararás estes momentos de forma muito mais positiva, estarás a treinar a tua reacção ao erro e a calma resultante ajudar-te-á a chegar mais rápido ao nível pretendido.

Esperamos que estas dicas te ajudem a ter um regresso mais simples, mais saudável e mais feliz! Que te ajudem a Mudar O Teu Jogo para melhor. Bom regresso!

Fernando Santos (Muda o teu jogo).

* Mental Coach, Parent Mental Trainer (Muda o teu jogo). Artigo publicado originalmente em Fairplay

Publicidade, Serviços & Donativos