“O presidente deu a sua palavra que fará tudo para nos ajudar” – Arlindo Tavares, recandidato a S. Jacinto (AcA)

1529
Arlindo Tavares, São Jacinto (arquivo).

Arlindo Tavares foi apresentado, esta terça-feira à noite, como candidato à Junta de Freguesia de S. Jacinto pela coligação Aliança com Aveiro (AcA) às eleições intercalares de 13 de novembro, que foram agendadas após a renúncia de todos os membros do PS e do primeiro eleito do PSD.

O gestor do sector turístico, o primeiro ‘a entrar na corrida’, fará, assim, a terceira tentativa de chegar à liderança da autarquia local, depois de ter sido cabeça-de-lista da coligação PSD-CDS-PPM em 2017 e há um ano atrás, em que o PS venceu as eleições sem maioria.

Na sua intervenção, Arlindo Tavares, que terá Rui Teixeira como mandatário, lembrou que a sua “postura” ao aceitar integrar a Junta como secretário, permitindo viabilizar a instalação dos orgãos autárquicos, “foi sempre de colaboração”, ao contrário de eleitos do PS que “tudo fizeram para o mandato correr mal e aparecem agora como salvadores de uma situação que ajudaram a criar” ou da CDU “que no final nada fez”, colocando-se à margem de entendimentos. “Tanto uns como os outros quiseram ver a freguesia enterrada para avançar, assim pensavam, com as suas próprias eleições”, denunciou.

O recandidato disse que conta “com o apoio de todos, em especial da Câmara” para, até ao final do mandato, conseguir normalizar a vida da Junta abalada por graves problemas financeiros que levaram à crise política e marcação de eleições intercalares. “O presidente deu a sua palavra que fará tudo para nos ajudar”, afirmou, desmontando as críticas ouvidas na freguesia que fazem de Ribau Esteves “um bicho papão, que quer ficar com tudo e só se lembra de S. Jacinto apenas três dias por ano”. “É falso, se não fosse a Câmara não tínhamos Bandeira Azul, o parque de merendas, o ferry de 5 milhões de euros e agora 1 milhão de euros para o parque de campismo”.

Ribau Esteves foi a S. Jacinto renovar o apoio em Arlindo Tavares, que disse ter sido prejudicado em 2021 pelo aproveitamento do PS do corte das transferências de verbas camarárias após penhoras movidas à Junta. “Fizeram crer que éramos o papão, que era para prejudicar a eleição da Junta, usar o poder da Câmara para prejudicar a recandidatura do PS. Sofremos com isso e perdemos por muito pouco”.

“Tínhamos razão ao apresentar um cabeça-de-lista sério, com bom exemplos na vida”, referiu o edil, retomando a necessidade de “trabalharmos em equipa” para “somar a competência da Câmara à gestão da Junta, que tem um problema muito difícil de resolver mas tem de ser resolvido”. “Primeiro é preciso lavar a louça, espero que não seja preciso partir mais nenhum prato para reganhar a capacidade de fazer coisas”, afirmou, mostrando-se empenhado em ajudar a tornar a “Junta capaz e competente”, uma vez que “há tantas coisas para fazer”.

Discurso direto

“Não fomos nós que provocámos as eleições. O PS negou-se a governar pelo tamanho da vergonha. Voltamos com a mesma bandeira e propósito, para ter contas em ordem e que se faça bem. Existem muitas obras, muitos investimento, conhecem isso. São eles próprios que dizem que não são capazes. Deem-nos uma oportunidade de governar em equipa, como governamos a Câmara” – Ribau Esteves.

Resultados das eleições autárquicas de 2021 para a Assembleia de Freguesia de São Jacinto (+ info).

Artigo relacionado

Aveiro: Demissões provocam eleições intercalares em S. Jacinto

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.