Novas automotoras não vão chegar à Linha do Vouga

2087
Linha do Vouga, S. João da Madeira (foto de António Pereira).

A anunciada compra de 117 automotoras elétricas “é uma boa notícia para a ferrovia nacional e muito necessária”. No entanto, o Movimento Cívico pela Linha do Vouga (MCLV) “manifesta-se desiludido, porque nesta compra, não se prevê a aquisição de material de via estreita para a Linha do Vouga”.

“As actuais automotoras 9630 foram construídas em 1991 e vieram da Linha da Póvoa. Com o desgaste acentuado pelo traçado sinuoso da linha, há avarias constantes, falta de peças, que se traduzem na situação actual”, alerta um comunicado.

O MCLV vem, assim, “pedir ao Governo e à CP que tratem de adquirir material para a Linha do Vouga.”

“Há mais linhas de bitola estreita no mundo, do que bitola ibérica, pelo que não deve ser difícil adquirir material, nem que seja em segunda mão”, refere a tomada de posição.

“Enquanto persistirem as avarias” que originam situações em que se torna “impossível respeitar o distanciamento” e causam atrasos, o MCLV pede à CP “que em complemento ao comboio, alugue autocarros, nas últimas circulações do dia, para evitar que passageiros fiquem sem transporte.”

Artigo relacionado

“Maior compra da história da CP”. Comboios novos começam a circular em 2026

Publicidade, Serviços & Donativos

Para conhecer e ativar campanhas em NoticiasdeAveiro.pt, assim como conhecer / requisitar outros serviços e fazer donativos, utilize a nossa plataforma online.