Mulher atropelada sem gravidade por pescador a sair do porto de abrigo da Torreira

1716
Mariscadores, Torreira.
Smartfire 728×90 – 1

Fonte das Relações Públicas do Comando Territorial da GNR de Aveiro esclareceu que os distúrbios ocorridos, esta manhã, junto ao porto de abrigo da Torreira, concelho da Murtosa, causaram ferimentos “leves” numa mulher que foi atingida por uma viatura ao sair do local, onde se encontravam concentrados mariscadores em protesto contra a interdição da apanha de bilvalves, por razões de saúde pública.

Desde o início da semana, que os mariscadores têm promovido ações para mostrar a sua revolta por não estarem autorizados a exercer a atividade nas melhores áreas de produção de berbigão e ameijoa, montando uma espécie de ‘piquete de greve’ que hoje insurgiu-se com um pescador não residente na localidade que esteve a trabalhar.

“Houve ali um conflito entre mariscadores, quando foram detetados alguns a ir para a ria. Estes alegaram que iam para zona onde era permitido. Depois deste primeiro desentendimento, num segundo momento, efetivamente, houve um indivíduo que foi confrontado ao chegar à lota com bivalves, descarregados em outro local. Ao verem, os que estavam junto ao cais alegaram que eram provenientes de zona proibida e gerou-se uma confusão”, explicou fonte da Guarda.

“O pescador que estava a chegar quis arrancar de carro, os outros meteram-se à frente. Uma senhora foi atropelada, com ferimentos leves, assistida no local. O condutor não foi intercetado mas está identificado, foi elaborado expediente devido ao sucedido”, concluiu o oficial das Relações Públicas.

As primeiras informações davam conta de várias pessoas atropeladas.

Análise negativa aguarda confirmação para retoma da apanha de bilvalves

A Associação da Pesca Artesanal da Região de Aveiro (APARA) anunciou que uma análise à qualidade da água na zona atualmente interdita, realizada a 9 de dezembro, já se enquadram em valores acietáveis para a apanha de bivalves. Falta a confirmação com uma segunda amostra.

Ler comunicado da Associação da Pesca Artesanal da Região de Aveiro (APARA) sobre a apanha de bivalves.

Artigos relacionados

Várias pessoas atropeladas durante protesto de mariscadores na Murtosa

Mariscadores querem garantias de voltar à apanha de bivalves na maior zona da ria

Publicidade, Serviços & Donativos