Instituto Confúcio da Universidade de Aveiro recebe prémio “Melhor Confúcio do ano”

223
Universidade de Aveiro.
Dreamweb 728×90 – Video I

O Instituto Confúcio da Universidade de Aveiro (IC-UA) recebe, a 5 de dezembro, em Chengdu, China, o prémio “Melhor Instituto Confúcio do Ano”, numa cerimónia pública.

“É um prémio de todos e para todos os que constituem esta maravilhosa equipa, solidária, ativa, criativa e competente. Em meu nome e em nome da Prof.ª Guo Zhiyan, quero agradecer o empenho e alegria que os membros desta equipa sempre emprestaram às inúmeras atividades que realizámos ao longo deste ano, nas vertentes de ensino, de artes marciais e de divulgação da cultura chinesa, sempre numa perspetiva intercultural. Ainda que o prémio nos traga uma responsabilidade acrescida, é deveras recompensador sentirmos que o nosso trabalho é reconhecido dentro e fora de portas.” Este agradecimento do diretor do IC-UA, Carlos Morais, é alargado a todos os que têm contribuído a atividade desenvolvida ao longo dos últimos anos. Carlos Morais, professor do Departamento de Línguas e Culturas da UA, dirige o IC-UA com Guo Zhiyan, professora oriunda da Universidade de Línguas Estrangeiras de Dalian, universidade parceira deste organismo da UA.

O IC-UA é patrocinado pelo Hanban (instituto Confúcio sede) que tutela 525 Institutos Confúcio e 1115 Salas Confúcio espalhados pelo mundo.

Três anos de atividade

Inaugurado a 23 de abril de 2015, o IC-UA, ao longo dos últimos três anos e meio de existência, foi um agente facilitador de contactos com universidades chinesas, desenvolveu várias atividades em articulação com alguns departamentos da Universidade, estabeleceu parcerias com as câmaras municipais da região, aumentou o número de projetos de ensino de Mandarim, bem como o número de atividades de divulgação da cultura chinesa dentro e fora da UA.

No que diz respeito ao ensino da língua chinesa, cerca de 2500 alunos estudam Mandarim, com a coordenação didático-pedagógica do IC-UA: 220 na UA e cerca de 2250 no ensino público e privado, distribuídos por 112 turmas de sete municípios do distrito de Aveiro (S. João da Madeira, Espinho, Estarreja, Vale de Cambra, Oliveira de Azeméis, Aveiro e Águeda).

Divulgação da cultura chinesa

Para além do ensino de Mandarim, o Instituto tem desenvolvido atividades de divulgação da cultura chinesa. No presente ano, o IC-UA celebrou, entre outras, o Ano Novo chinês, no centro da cidade de Aveiro, em parceria com a Câmara Municipal, e em Lisboa, com a Embaixada da China em Portugal; organizou o Festival das Lanternas, em articulação com a Câmara Municipal de S. João da Madeira; o Festival do barco-dragão, no canal central da Ria de Aveiro, em parceria com a Câmara Municipal de Aveiro; coordenou a Exposição de Literatura Infantil chinesa, em conjunto com os restantes Institutos Confúcio de Portugal; construiu um o teatro de sombras, que proporcionou mais de dez espetáculos a crianças dos distritos de Aveiro e de Braga; organizou, no Museu de Aveiro, uma exposição de caligrafia e outra de bronzes chineses, e, na Reitoria da Universidade de Aveiro, a exposição da iniciativa “Uma faixa, uma rota” (em parceria com a Embaixada da China em Portugal); promoveu três conferências, uma pelo artista Luo Qi sobre Arte e Design na China, outra com o Prof. Wang Ning sobre “Comparative Literature: Historical Retrospectionand Contemporary Orientations” e outra ainda por Han Mei sobre “Chinese Music as Cross-Culture”; e, por fim, organizou dois Colóquios sobre a China e as relações culturais e comerciais.

Promoveu também a publicação de três livros: “Diálogos Interculturais Portugal-China 1”; “Música Católica em Macau no século XX” e “Gramática de chinês para falantes de português”. E, neste momento, prepara a publicação do número 1 da “Revista AmIC-UA” (Revista da Associação dos Amigos do Instituto Confúcio da Universidade de Aveiro) e manuais para o ensino de Mandarim a crianças do ensino básico.

Prepara-se agora o II Congresso Internacional “Diálogos Interculturais Portugal-China”, que se vai realizar entre 13 e 15 de março de 2019.

O IC-UA recebeu em janeiro de 2017 o Prémio Relação Intercultural, atribuído pela Liga dos Chineses em Portugal, pelo reconhecimento dos serviços prestados no desenvolvimento do ensino de chinês a alunos portugueses. Este ano, o prémio “Best  Creativity Award” no âmbito do concurso “Global Chinese Bridge”, foi entregue ao aluno do IC-UA, Francisco Silva.

Universidade de Aveiro