Homem que matou amigo por negligência aguarda em liberdade desenrolar do inquérito

993
Polícia Judiciária, Aveiro.

O homem que atingiu um amigo, em Paradela, concelho de Sever do Vouga, na noite de passagem de ano, com um disparo de caçadeira, supostamente, inadvertido, vai ficar a aguardar o desenrolar do inquérito crime em liberdade.

O agora arguido foi ouvido esta quarta-feira em interrogatório judicial na seção de Águeda do Departamento de Investigação e Ação Penal, tendo prestado Termo de Identidade e Residência (TIR), a medida de coação mais leve.

O indivíduo de 36 anos atingiu o amigo com um tiro quando, tudo indica, procurava desencravar a arma que estaria a ser usada para comemorar a chegada de 2019 com disparos feitos no exterior de uma residência de vizinhos dos homens envolvidos.

O falecido deixou a companheira grávida.

Arma ilegal, PJ admite caso de negligência

A vítima, de 24 anos, foi atingida no peito cerca das 23:45. Transportada pelos bombeiros em estado muito grave, acabaria por morrer no hospital de Coimbra.

A arma do tipo caçadeira, ao que apurámos, encontrava-se ilegal, o que poderá ter consequências legais para o proprietário.

A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro, na primeira avaliação, considerou “credível” o cenário de um disparo acidental, apontando assim para homicídio por negligência.