Greve dos trabalhadores da ERSUC vai perturbar recolha de lixos

2859
Central da ERSUC, em Eirol, Aveiro.

Os trabalhadores da empresa ERSUC SA – Resíduos Sólidos do Centro (grupo EGF / Mota Engil) anunciaram uma greve para os dias 27 e 28 de janeiro que irá perturbar a recolha de lixos urbanos nos concelhos da região de Aveiro.

Uma paralisação convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) “em luta pelo aumento de salários para todos”e “pela defesa da contratação colectiva”.

Os 400 trabalhadores ao serviço da ERSUC prestam serviço a 36 municípios dos distritos de Coimbra, Aveiro e Leiria, abrangendo uma área de 7000 km2 (7.9 % do território nacional) e uma população de aproximadamente um milhão de habitantes. A empresa trata mais de 300 mil toneladas de resíduos por ano.

“Os trabalhadores estão em greve pelo aumento geral dos salários para todos os trabalhadores, exigem o respeito pelas estruturas representativas dos trabalhadores e do direito constitucional à contratação colectiva, o direito à carreira profissional, por melhores condições de vida e de trabalho.
A luta dos trabalhadores da ERSUC dos polos de Coimbra e Aveiro”, refere uma nota de imprensa.

O STAL “condena a atitude da administração da holding, que se recusa a iniciar qualquer processo de negociação colectiva global ou local”.

A Câmara de Águeda já veio alertar para os problemas que a greve vai trazer na receção de resíduos na Unidade de Tratamento Mecânico Biológico (UTMB) de Eirol.

É solicitada “a melhor compreensão por parte da população”, de forma a que não deposite os seus resíduos nos equipamentos destinados para esse fim nos dois dias.

“Perante a incerteza de estarem garantidos os serviços mínimos nas entregas de resíduos em Eirol, a autarquia apela a que os cidadãos procurem usar os contentores no mínimo indispensável”.

Publicidade, Serviços & Donativos