Financiamento pós-fogo florestal mal aplicado em Portugal, concluiu estudo da UA

541
Reflorestação de zonas atingidas pelos fogos.

As intervenções foram tardiamente operacionalizadas no terreno e não existiu uma seleção das áreas a intervir.

Esta é uma das principais conclusões de um estudo da UA sobre a gestão florestal pós-fogo realizada no país com recurso a financiamento público. O estudo garante que a aplicação dos fundos “não tem respondido às necessidades” no que diz respeito à proteção dos valores em risco e ao planeamento da recuperação da área de forma mais sustentável e resiliente a futuros fogos.

Continuar a ler artigo do site UA.pt.

Publicidade, Serviços & Donativos