Em tempos excecionais, medidas excecionais

2429
Cidade de Aveiro vista das salinas (foto de José Dinis).

Em tempos excecionais, medidas excecionais – com FAM, sem FAM, pouco interessa… Esta é a hora de grande ousadia nas decisões e, sobretudo para quem mais precisa, proximidade nas ações.

Por Manuel Oliveira de Sousa *

Aveiro, após mais uma semana de grande sacrifício para todos a viverem em Estado de Emergência, destaca entre nós – como é justo e reconhecido – todos os que estão na linha da frente no combate à pandemia COVID’19: profissionais de saúde; forças de segurança e socorro; profissionais de setores-chave para o nosso Concelho, para o nosso país; todos os que nos permitem estar em casa a combater.

Prestamos a nossa profunda solidariedade aos que sofrem e às suas famílias e amigos; prestamos a nossa profunda solidariedade a cada aveirense que, a cumprir o isolamento físico social, dá um contributo determinante para que este enorme desafio seja vencido.

Acompanhamos, gratos, todos os que encontram soluções para os problemas.

Obrigado!

Mantemos a nossa dedicação à congregação de todos os esforços para estarmos unidos, apesar do que nos possa circunstancialmente separar.

O tempo é de reunir e não de desagregar. O tempo é de ser pró-ativo – preferencialmente de forma discreta, assertiva e eficaz.

Esta é a hora de homens e mulheres de caráter!

Este é a hora da afirmação da vontade clara e inequívoca de agir na revelação de que “ninguém se salva sozinho”!

Esta é a hora das lideranças históricas!

Esta é a hora de agir, dentro das funções especializadas de cada um. E a grandíssima maioria de nós dá o maior contributo, a todos, estando isolado e abstendo-se de disseminar qualquer contaminação – até na opinião!

Esta é a hora de erguer a indignação contra a imbecilidade! Não é o (melhor) momento para todos sabermos de tudo, mesmo que a procurar um simples palco para se fazer notar!

Esta é a hora da “fraternidade sem quartel”, junto (mas afastados!) dos mais frágeis, dos doentes, dos indefesos, dos que não têm casa, vencimento, teto e pão, … das vítimas de qualquer espécie de pandemia.

Em tempos excecionais, medidas excecionais – com FAM (Fundo de Apoio Municipal), sem FAM, pouco interessa… Esta é a hora de grande ousadia nas decisões e, sobretudo para quem mais precisa, proximidade nas ações. Já!

Manuel Oliveira de Sousa, líder concelhia do PS de Aveiro.

* Presidente da concelhia do PS de Aveio, vereador.

Publicidade, Serviços & Donativos