Eixo – Eirol resiste à integração escolar em ‘mega agrupamento’ de Esgueira

4328
EBI de Eixo.

A discussão em torno da revisão da Carta Educativa do Município de Aveiro “está a criar junto dos cidadãos da freguesia de Eixo-Eirol enorme apreensão, revolta, constrangimentos e apreensão”.

Alerta lançado num comunicado conjunto da Junta e Assembleia de Freguesia após um debate realizado a 10 de outubro localmente sobre as propostas ’em cima da mesa’, ao que apurámos, no sentido de agregar as escolas locais a Esgueira.

A Junta de Freguesia de Eixo e Eirol, a que preside João Carlos Morgado (PS) deseja “garantir e melhorar a qualidade dos serviços públicos” mas também “proximidade com as pessoas, não embarcando em medidas avulso, sem fundamentação ou devida ponderação, que prejudiquem o património social que existe.”

“Um agrupamento de tal dimensão impossibilitará o tipo de tratamento de proximidade” que a Escola Básica Integrada (EBI) de Eixo “fomentou na freguesia”, alerta o comunicado que rejeita “o ensino em escolas massificadas” por se revelar “anónimo, descaracterizado, como se pode constatar nas escolas que já funcionam nestes moldes.”

“A Junta de Freguesia e a Assembleia de Freguesia consideram que a escola EB de Eixo mantém condições para a sua sustentabilidade. Necessita de intervenção, ao nível de restauro e manutenção, em alguns dos seus edifícios”, lê-se na tomada de posição.

A Assembleia pronunciou-se “favoravelmente ao reforço e valorização da autonomia da EBI de Eixo, dentro do quadro legal consignado no regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário para que mantenha e aumente a qualidade do serviço educativo, resolução de proximidade, parceria com o tecido social, económico e associativo da Freguesia e território educativo que serve.”

Comunicado da Freguesia de Eixo – Eirol sobre a EBI.