EIA de unidade de reciclagem da Navalria em consulta pública

414
Navalria.

A Navalria não desiste de retomar a atividade como unidade de reciclagem de navios nas suas instalações concessionadas pelo Porto de Aveiro, em Ílhavo. O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) encontra-se em consulta pública até 16 de julho.

Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o jornal online NotíciasdeAveiro.pt gratuito.

O estaleiro, atualmente inserido no grupo Martifer, dedica-se há quatro décadas à construção, manutenção e reparação naval. A “consolidação da estratégia de negócios” passa por incluir a atividade de reciclagem de navios, “oferecendo soluções integradas aos seus clientes e potenciais clientes”.

Prevista a produção anual de 10.700 toneladas de resíduos

A atividade de reciclagem de navios já foi desenvolvida pela Navalria entre 2012 e 2021 como operador de gestão de resíduos (era a única licenciada pela União Europeia em Portugal). Entretanto, o alvará de licença caducou, obrigando a pedir a renovação, mas com alterações aos locais do estaleiro a afetar à operação de reciclagem para permitir acolher navios de maiores dimensões. Contudo, a atividade preferencial a desenvolver no estaleiro continuará a ser a construção e reparação naval para as quais o estaleiro se encontra devidamente licenciada.

Pretende-se incluir na área a licenciar para a atividade de reciclagem, a totalidade das infraestruturas específicas para receção e processamento naval atualmente em funcionamento no estaleiro. A área a afetar à unidade de reciclagem de navios será de 21.022 metros quadrados, ou seja, 2,1 hectares dos 12,46 hectares do estaleiro naval. Estima-se uma produção anual de 10.700 toneladas de resíduos.

Após a implementação do projeto, num cenário de utilização da capacidade máxima da unidade de reciclagem, o número de colaboradores diretos (funcionários da Navalria) aumentará em 6 em relação a 2021 (último ano em que decorreu a reciclagem de um navio no estaleiro). Complementarmente, prevê-se a necessidade de recorrer a subcontratados a partir de empresas especializadas em gestão de resíduos, tal como aconteceu no passado, prevendo-se o envolvimento de 15 a 20 pessoas.

Conclusões do EIA

» Durante a fase de funcionamento as atividades de reciclagem ocorrerão em locais atualmente utilizados na construção e reparação de navios, “não se perspetivando alterações relevantes ao nível das características ambientais locais, pelo que os impactes negativos eventualmente existentes serão pouco importantes”;

» “Da avaliação realizada verifica-se a existência de impactes positivos importantes ao nível da emissão de gases com efeito de estufa na medida em que se perspetiva uma redução global da emissão desses gases devido ao processo de reaproveitamento dos materiais a realizar posteriormente”;

» Destaca-se, ainda, a oportunidade que o projeto promove ao nível de “potenciar a reciclagem de navios devolutos existentes na Ria de Aveiro que, estando inutilizados nos cais, encontram-se atualmente em situação de passivo ambiental.”

Consultar documentação do EIA da Navalria – Unidade de reciclagem

Artigos relacionados

Martifer perde licença europeia para desmantelar navios em Aveiro

Navalria prepara estaleiro para desmantelar navios maiores
Siga o canal NotíciasdeAveiro.pt no WhatsApp.

Martifer tem estaleiro de reciclagem de navios aprovado pela Comissão Europeia

Publicidade e serviços

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais no jornal online NotíciasdeAveiro.pt, assim como requisitar outros serviços. Consultar informação para incluir publicidade online.