Distrital do PSD clarifica avocação do processo autárquico em Aveiro

1695
Campanha eleitoral de 2017 da 'Aliança com Aveiro'.
Dreamweb 728×90 – Video I

A presidência da Comissão Política Distrital (CPD) do PSD de Aveiro divulgou hoje à tarde um comunicado a confirmar que chamou a si o processo autárquico no concelho de Aveiro.

A distrital informa que decidiu na segunda-feira à noite “avocar o processo das eleições autárquicas de 2021 no concelho de Aveiro, aos orgãos municipais e de freguesia, assumindo assim a responsabilidade de gestão deste processo”.

Comunica, assim, que “ao nível da sua liderança operacional em termos da direção de campanha e da elaboração das listas é assumida pelo candidato à Câmara Municipal de Aveiro, José Ribau Esteves”, no âmbito da coligação a apresentar com o CDS e o PPM, “fazendo-o em articulação com a estrutura concelhia do PSD, se possível, e com os partidos parceiros da coligação”.

Segundo a nota remetida pelo presidente Salvador Malheiro, esta deliberação foi alvo de ratificação pela Comissão Política Nacional (CPN), “pelo que a partir de hoje, qualquer posição política tomada pela estrutura concelhia do PSD, deixa de ter qualquer valor político e de vinculação do PSD”.

Assim, assumirá o presidente da CPD de Aveiro do PSD “a responsabilidade da representação e interlocução do PSD nas eleições autárquicas de 2021 no concelho de Aveiro, fazendo-o promovendo o diálogo e em defesa do sucesso da candidatura liderada pelo PSD e pelo companheiro militante do PSD José Ribau Esteves”.

Proposta prevê mediação distrital, garante dirigente partidário

Uma fonte partidária (de outra estrutura local que não Aveiro), que tomou parte na reunião de segunda-feira, confirmou a informação já adiantada por NoticiasdeAveiro.pt. Na proposta para avocar o processo houve “um compromisso, informal digamos assim, de sentar as duas partes” (Concelhia e Ribau Esteves), com a mediação da distrital, e eventualmente mais alguma pessoa, para tentarem chegarem a acordo”.

As divergências entre a estrutura local do partido e o candidato por si indicado, embora não sendo inéditas, causaram surpresa entre os pares da distrital. “Também se percebe, ninguém vai jogar uma equipa em que pelo menos não escolhe alguns”, referiu uma fonte, compreendendo o descontentamento de Ribau Esteves com a apresentação por parte da concelhia de listas para os orgãos autárquicos sem os consensualizar com o cabeça de lista.

Sobre a entrega do processo a Ribau Esteves desde já, conforme refere o comunicado da distrital, “em rigor não foi isso que saiu da reunião”, onde ficou acordado “uma tentativa de juntar as partes”, sabendo-se que a Nacional também “tem um papel mais determinante nas capitais de distrito” e, aliás, mostrou “concordância” com a proposta da distrital

“A concelhia indica o Ribau Esteves para candidato, não pode é ser a concelhia a mandar na equipa toda. Isto foi discutido, com apelos a bom senso e entendimento. Quando se focam muito nas questões estatutárias, podem não sair dali”, alertou a fonte partidária por nós contactada, advertindo para o desgaste de eventuais recursos para o Conselho Disciplinar do partido ou mesmo para os tribunais.

“Não faz sentido que não tivessem falado uns com os outros, é mau para a imagem do partido, isto não é só um projeto pessoal, seja qual for a parte”, concluiu o dirigente de uma concelhia.

Artigo relacionado

Distrital do PSD obriga concelhia e Ribau Esteves a negociarem candidatura autárquica

Publicidade, Serviços & Donativos