Desemprego no distrito de Aveiro sobe mais que na média do Continente

261
IEFP, Aveiro.

O número de desempregados registados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) no distrito de Aveiro no mês de Janeiro deste ano era de 19.308, mais 1.060 que em Dezembro de 2023, refere um balanço elaborado pela União de Sindicatos de Aveiro (USA).

A variação mensal do desemprego nos 19 concelhos do distrito foi em janeiro deste ano de 5,81%, superior ao Continente (5,66%).

Em termos homólogos, o desemprego no distrito aumentou em 1.425 desempregados, seguindo a tendência do continente, que aumentou 16.136.

Dos 19.308 desempregados registados em Janeiro de 2024 no IEFP, a USA faz notar que “apenas 13.317 recebiam protecção social de desemprego, com o valor médio de 600,29€, pouco acima do limiar de pobreza (591€).”

O número total de desempregados nos registos oficiais seria, de acordo a pesquisa sindical, no início do ano de 21.907, cruzando com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

A USA alerta que os trabalhadores em situação de trabalho precário “são as principais vítimas da exploração e do desemprego”: dos 3.659 desempregados inscritos no primeiro mês do ano de 2024, 1.687 (46,11%) são pessoas a quem não foi renovado o contrato de trabalho.

O número de desempregados registados representa 5,68% da população activa do distrito. Em termos de variação mensal o desemprego registado aumentou em 15 dos 19 concelhos: Águeda, Arouca, Aveiro, Castelo de Paiva, Espinho, Estarreja, Ílhavo, Mealhada, Murtosa, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Ovar, Santa Maria da Feira, São João da Madeira e Vagos.

As mulheres continuam a ser mais afectadas: são 11.243 em Janeiro de 2024, 58,23% dos desempregados registados no distrito. Os desempregados de longa duração atingem 6.827 trabalhadores, 35,36% do desemprego registado no distrito.

Aveiro mantém-se o sexto distrito com mais desemprego registado no País.