Descentralização: Educação, ambiente e áreas portuárias entre as prioridades de Aveiro

368
Antiga Fábrica Jerónimo Pereira Campos, Aveiro (foto Câmara de Aveiro).
Dreamweb 728×90 – Video I

Edilidade tem “pbjetivos prioritários” de descentralização de tarefas do Estado “nas áreas das novas competências que quer receber e exercer, destacando-se a educação, a cultura, o património, o ambiente e as áreas portuárias.”

Informação prestada pelo presidente da autarquia na habitual mensagem aos munícipes difundida pelo site municipal.

Ribau Esteves lembra que esteve ativamente envolvido na negociações que levaram ao acordo em torno do pacote de descentralização entre a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e o Governo. PS e PSD viabilizaram o entendimento que irá agora seguir os seus trâmites na Assembleia da República “aproximando a capacidade de gerir e de decidir, dos territórios e dos cidadãos.”

O edil garante que o exercício das novas competências que o processo de descentralização encontrará boas condições devido à reestruturação organizacional e financeira da Câmara, em fase consolidação, assim como ao empenho na qualificação em termos de gestão e recuperação financeira, “que se encontram em pleno desenvolvimento”. Aspetos “muito importantes e mesmo fundamentais.”

Sobre o mês de julho, Ribau Esteves dá relevo também às atividades nas áreas da Cultura e do Turismo, que “têm um lugar muito importante”.

O Festival dos Canais evento do mês, assume-se, segundo o autarca, “cada vez mais um evento anual de referência no município de Aveiro, e vai prosseguir o seu caminho de crescimento para ganhar o espaço de evento relevante à escala nacional e internacional.”

É, também, “uma operação de marketing territorial contributiva para o nosso processo de diferenciação e de crescimento na área do Turismo, que queremos continuar a realizar de forma intensa e sustentável.”