Criação de Unidade Local de Saúde (ULS) da Região de Aveiro merece apoio da CIRA

4690
Hospital de Aveiro (balcão de atendimento).

“Um passo importante e decisivo para a gestão integrada dos Cuidados de Saúde Primários e dos Cuidados de Saúde Secundários ou Hospitalares na Região de Aveiro”.

É assim que a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) vê a comunicação por parte da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS) de criar “um grupo de trabalho com a missão de elaborar o plano de negócios da futura Unidade Local de Saúde (ULS) da Região de Aveiro EPE”.

Em comunicado, a comunidade intermunicipal informa que “vai acompanhar de perto este processo, dando os contributos que entenda importantes, estando garantido a abertura a esses contributos e a informação regular sobre o desenvolvimento do processo”.

A CIRA lembra que este modelo de gestão agora adotado é defendido pelos municípios “há mais de seis anos, tendo sido assumido formalmente pelo estudo e relatório denominado ‘Estudo sobre o Centro Hospitalar do Baixo Vouga’ elaborado pela Universidade de Aveiro” para a comunidade interminicipal em 2016.

“A ideia principal é que a ULS faça a integração da prestação de cuidados de saúde aos Cidadãos, facilitando a sua vida, reduzindo perdas de tempo no caminho entre os cuidados primários e os hospitalares, maximizando as capacidades técnicas e logísticas ao dispor e elevando a qualidade dos serviços, a sua qualificação e diversificação técnica e a sua proximidade e permanência juntos dos Cidadãos”, explica o comunicado,

Para a administração da ULS-RA, a CIRA indicará um seu representante “com a função principal de cuidar da relação da gestão dos cuidados de saúde com os Cidadãos, tendo sempre a CIRA e os seus Municípios associados como importantes Parceiros no zelar por serviços de saúde permanentes e de qualidade, cumprindo outras funções por determinação legal e decisão política, no cumprimento de uma efetiva cooperação institucional.”

Relembrada necessidade de capacitação de polos hospitalares e ampliação do Infante D. Pedro

A terminar o comunicado, a CIRA reafirma que “apoia esta decisão” do SNS “pela sua pertinência e importância”, pelo que demonstrou toda a sua “disponibilidade e empenho para acompanhar o grupo de trabalho neste processo que reputa de muito importante da criação da ULS da Região de Aveiro”, apelando ainda a “ativa participação” dos polos hospitalares de Aveiro, Águeda, Estarreja e Ovar, para que sejam “devidamente capacitados em termos de valências, equipamentos técnicos e recursos humanos, terminando com os problemas recorrentes que a população vive, de morosidade dos serviços, entupimento das urgências, entre outros.”

A CIRA “reiterou” por último, “a importância, a absoluta prioridade e a premência do investimento de ampliação e qualificação do Hospital Infante D. Pedro, com a integração futura do Centro Académico Clínico sob a liderança da Universidade de Aveiro, exortando a que sejam utilizados os Fundos Comunitários do PRR, aproveitando a reprogramação que se encontra em curso, e/ou do Portugal 2030 que se encontra em fase final de negociação dos Programas Operacionais entre o Governo Português e a Comissão Europeia.”

Artigo relacionado

Direção executiva do SNS vai criar quatro Unidades Locais de Saúde

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.