Covid-19: Aveiro a favor de “medidas mais restritivas”

7598
Hospital de Aveiro.

É chegada a hora de retomar restrições já ensaiadas no combate à pandemia do Covid-19 de forma a travar o contágio e as suas implicações na saúde pública, defendeu o presidente da Câmara de Aveiro, colocando-se, desde já, ao lado de decisões governamentais nesse sentido.

“O Governo decide em interação para connosco, existem esses canais de diálogo. Se saírem medidas que ache erradas direi. São seguramente necessárias medidas mais restritivas, porque a curva que estamos a ter está bem acima da primeira vaga. O Governo tomará as suas decisões e nós as nossas”, afirmou Ribau Esteves questionado sobre o assunto no final de uma conferência de imprensa, esta quinta-feira de manhã, para apresentar as Grandes Opções do Plano (GOP) para 2021.

Aveiro tem sido nas últimas semanas o concelho com mais casos positivos no 11 municípios do Agrupamento dos Centros de Saúde (ACeS) do Baixo Vouga. Esta semana, estava registados 241, seguindo-se Ovar com 184.

“O Covid-19 também está a crescer em Aveiro, tivemos uma preocupação muito grande na primeira quinzena de outubro, quando os nossos números subiram bastante, agora na terceira semana baixaram bastante em relação à primeira quinzena, mas estão muito mais altos do que estavam em setembro, por exemplo”, explicou o edil.

Aveiro somava esta semana, desde o início da pandemia, 832 casos confirmados (33 óbitos), ocupando o segundo lugar entre os concelhos da região. Ovar mantinha-se em primeiro com 1008 (43 óbitos).

“Aveiro tem atualmente mais casos ativos do que em Ovar, mas essa não é a questão, o Covid não é municipal, temos estatística municipal mas o Covid não quer saber disso, ainda para mais em cidades como a nossa que tem entradas e saídas brutais de pessoas para trabalhar, visitar, tantas coisas, com grandes movimentos pendulares, que levam e trazem risco de Covid”, afirmou Ribau Esteves.

Para o autarca, a gestão governamental das medidas tomada na primeira vaga “foi globalmente bem feita”. A edilidade foi tomando medidas complementares. “Mantenho essa postura e confiança no Governo. Tem tomado medidas, concordo que são proporcionais à realidade que temos tido, temos todos consciência que é altamente provável que o Conselho de Ministros de sábado aprove a entrada em vigor de regras mais restritivas, seguramente”, disse.

A autarquia pode intervir no horário dos estabelecimentos, por exemplo, que está limitado às 23:00, e, para já, não deve mudar. “Continuamos a achar que devemos manter essa hora.Aqui achamos que não há motivo para mudar. Vamos andando e vendo, sempre debaixo do cumprimento da decisões do país e da autoridade de saúde local que ajuda a aplicar as medidas ao nosso território”, explicou Ribau Esteves, lembrando que também “há uma responsabilidade individual” em contrariar a pandemia.

A Câmara confia também na decisão das Juntas de manter os cemitérios de portas abertas nos dias de Fiéis Defuntos e de Todos-os-Santos ainda que aplicando regras acordadas com a autoridade de saúde.

Circulação entre concelhos limitada

A partir da meia noite a circulação entre concelhos está limitada — a medida prolonga-se até às 6h do dia 3 de novembro.

Continuar a ler artigo do site Sapo24.pt.

Publicidade, Serviços & Donativos