Confessa roubo com ameaça de navalha

271
Palácio de Justiça, Aveiro.

Um homem de 35 anos confessou a autoria de um roubo, sob ameaça de arma branca, ocorrido em março de 2018.

O arguido, atualmente detido, assumiu os factos de que está acusado no início do julgamento, esta manhã, no Tribunal de Aveiro.

A cúmplice, à data companheira, apesar de notificada, não compareceu nem justificou a falta à audiência.

Os arguidos pernoitavam numa casa abandonada, junto ao cemitério Sul de Aveiro.

Os factos remontam à madrugada de 2 de março, quando o acusado abordou um indivíduo que seguia sozinho a pé, a falar ao telemóvel, junto aos Bombeiros Velhos, encostando-lhe uma navalha junto ao pescoço. Sob ameaça de morte, obrigou a vítima a entregar o telemóvel e a seguir até à Rua das Pombas onde estava a arguida à espera.

As ameaças do homem persistiram – “se não colabores abro-te um buraco nas costas” – quando o ofendido foi forçado a seguir até ao parque Infante D. Pedro, onde seria obrigado a entregar cartões de multibanco e os códigos.

O casal conseguiria levantar 240 euros no multibanco do ISCA. Devolveram os cartões e o telemóvel, colocando-se em fuga.

“Assumo tudo, é verdade. Mas ela não sabia que eu ia roubar, não combinámos. Ela andava perdida, por causa da droga. Eu próprio consumia”, afirmou o arguido, garantindo que não foi além das ameaças de violência. “Disse-lhe sempre que se colaborasse não lhe fazia mal”, referiu.