Confessa incêndio florestal ocorrido na Mealhada

1026
Tribunal de Aveiro.
Smartfire 728×90 – 1

Um homem assumiu no Tribunal de Aveiro a autoria de um fogo florestal que lavrou na Mealhada em setembro de 2019, sem apresentar motivação.

A detenção ocorreu fora de flagrante na sequência da investigação policial feita a vários focos de incêndio que deflagraram durante um fim-de-semana, obrigando a constantes deslocações dos bombeiros.

No início do julgamento, o arguido, residente em Anadia, atualmente com 36 anos, limitou-se a esclarecer que foi de bicicleta para o pinhal onde ateou com o isqueiro chamas num papel que arremessou para as ervas. Afastou, ainda, que estivesse sob efeito de álcool, uma vez que se limitara a comer um pastel e beber água.

Acabaria por permanecer no local até à chegada dos soldados da paz alertados para incêndio. Já na altura em que foi detido “não demonstrou qualquer motivação racional”. A Polícia Judiciária referiu em comunicado que demonstrava “fascínio pela atividade dos bombeiros a combater os incêndios.” Questionado pela Procuradora do Ministério Público sobre tal, disse apenas que “por vezes gosta de ficar a ver os bombeiros, outras vezes não”.

Artigo relacionado

Presumível incendiário detido na Mealhada

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.