Comunicado da Transdev sobre transporte escolar

3064
Transdev.
Smartfire 728×90 – 1

Esclarecimento da Transdev sobre o facto de vários municípios terem optado por transportar os alunos do 11º e 12º ano com meios não licenciados para o efeito, com inerentes riscos de saúde pública e de segurança rodoviária.

A Transdev sempre esteve disponível para retomar a sua atividade em todos os municípios onde opera e está ativamente a auscultar as populações das zonas que serve, através de uma plataforma online, para adaptar a oferta à procura;

Estes dados estão a ser partilhados regularmente com as autarquias como base para o trabalho de definição de linhas e horários que melhor podem servir as populações a cada momento – os designados na lei por serviços essenciais;

51% das necessidades de transporte identificadas tiveram resposta positiva das AT – Autoridades de Transportes (os municípios), com trabalho já efetuado e serviços já implementados. Nesse âmbito, a Transdev já retomou os seus serviços nos municípios pertencentes às comunidades intermunicipais do Cavado, Ave, Região Coimbra, Viseu Dão Lafões, Beiras e Serra da Estrela, Tâmega e Sousa, Alto Minho e nos municípios de Águeda, Sever do Vouga e Aveiro;

Há 15% de necessidades de transporte registadas que aguardam aprovação das AT e há 34% de situações identificadas a que as AT não estão a dar resposta, reduzindo a abrangência do transporte aos alunos do 11º e 12º ano, deixando a restante população sem qualquer oferta. Alguns municípios optaram por, voluntariamente, transportar os alunos com outros meios, apesar da Transdev ter sempre demonstrado disponibilidade e interesse em realizar os serviços essenciais definidos pelas Autoridades de Transporte (Municípios ou CIMs), contrariamente ao que foi afirmado por um partido político, que comentou publicamente o tema;

No entender da Transdev, a opção de não utilização das empresas de transporte público que operam nestes municípios, resulta de uma interpretação errada por parte dessas autarquias do atual regime para os operadores de transportes e compromete a sustentabilidade futura destes;

De salientar que o atual regime jurídico, bem como a orientação politica transmitida pelo Governo permite que as Autoridades de Transportes utilizem a totalidade dos montantes referentes aos passes 4@18, sub23, passe social+ e PART, bem como as verbas do apoio PROTransP e receita dos passes escolares para garantir a atribuição do financiamento necessário aos operadores de serviços de transporte público, no sentido destes garantirem a continuidade dos serviços essenciais;

Sem isso, as autarquias comprometem a realização de qualquer serviço de transporte público no imediato e a prazo, a satisfação das necessidades das comunidades em matéria de transportes e o futuro das empresas e dos seus postos de trabalho com consequência graves para um enorme número de famílias que residem nestes mesmos municípios.

Transdev

Artigo relacionado

Autarquias assumem encargos com transportes que deviam ser dos operadores – PCP

Publicidade, Serviços & Donativos