Compromissos para o distrito

388
Assembleia da República.

Muitas das medidas aprovadas nesta legislatura não estavam presentes no programa do PS, e tantas outras viram-se concretizadas depois de muitos processos de luta.

Ana Valente *

A 6 de Outubro, tal como no resto do país, os aveirenses são chamados a dar resposta a uma importante questão: avançar nos direitos repostos e conquistados, dando mais força à CDU ou andar para trás, pela mão de PS, PSD e CDS, para um tempo de congelamentos, de cortes, de austeridade e de retrocesso.

Através da justa luta do povo e dos trabalhadores e da decisiva intervenção do PCP e da CDU foi possível a reposição dos 4 feriados roubados, a gratuitidade dos manuais escolares, a diminuição do tecto máximo das propinas, o descongelamento de reformas e pensões e o seu aumento, o aumento do salário mínimo nacional…

Estes são apenas alguns exemplos, de uma longa lista que não foi mais longe porque o PS não larga as amarras desta União Europeia, da submissão ao grande capital e aos grandes grupos económicos, o que não é compatível com políticas de fundo que façam o país avançar no sentido do seu desenvolvimento soberano.

Ainda assim, a história não engana, e voltando um pouco atrás, percebemos que muitas das medidas aprovadas nesta legislatura não estavam presentes no programa do PS, e tantas outras viram-se concretizadas depois de muitos processos de luta. Luta nas empresas, nas ruas, nas universidades, nas escolas, mas também na Assembleia da República, onde as propostas da CDU terão mais força, quanto mais força o povo nos confiar nesta dura batalha eleitoral que se aproxima.

Há 4 anos, a CDU ficou a apenas 1680 votos (num universo de quase 650 mil eleitores) de eleger um deputado pelo círculo eleitoral de Aveiro, tirando o último deputado eleito pelo PSD. A eleição de um deputado da CDU está bastante próxima e é um imperativo para fazer avançar o distrito.

Em Aveiro há várias medidas inscritas nos nossos compromissos para o distrito que importa destacar, desde a reabertura de serviços públicos encerrados (como os balcões da CGD, estações CTT) até à valorização e requalificação da Ria de Aveiro com a devida despoluição dos rios e afluentes, passando pela reabertura das urgências do Hospital Visconde Salreu e do Hospital de Espinho.

O firme combate à municipalização da educação em curso está também inscrito nos nossos compromissos, bem como a revitalização do sector agrícola com um plano de regadio no Baixo Vouga lagunar e a defesa das raças autóctones. Importa não esquecer a urgência do distrito de Aveiro cumprir o que foi inscrito em lei no que refere ao alargamento e redução dos passes sociais. A CDU exige que esta medida se efective também para a população do nosso distrito, e que os meios de transporte colectivo, em particular a ferrovia, sejam requalificados, modernizados e até repostos (nomeadamente a Linha do Vale do Vouga e na Linha da Beira Alta, o ramal da Pampilhosa).

Quanto mais força tiver a CDU, mais força têm as nossas propostas para fazer avançar Aveiro. Está na mão dos aveirenses contribuir para o avanço de um Portugal alicerçado nos valores de Abril. Dia 6 de Outubro cabe a cada um de nós levar a luta até ao voto, porque avançar é mesmo preciso!

Ana Valente, PCP Aveiro.

* Bióloga. Eleita do PCP na Assembleia Municipal de Aveiro. Candidata pela lista distrital da CDU às legislativas.

Publicidade, Serviços & Donativos