Celebrar a quarentena cívica

1791
Foto de Adriano Miranda.
Dreamweb 728×90 – Video I

Os ‘Vizinhos de Aveiro’ fazem seis semanas de vida. Quarenta e oito dias de clausura mas também de muita atividade.

Por José C. Mota *

Aqui nesta ‘Ponte Praça’ digital, somos 17.568 vizinhos muito ativos com 1.851 publicações (40 por dia), 14.732 comentários e 91.492 reações. Se tudo correu com elevação e civismo, isso deveu-se ao espírito do grupo, à qualidade dos contributos e ao trabalho cívico incansável do Paulo, o administrador mor do grupo.

Por detrás desta rede social, há um coletivo de cidadãos a dedicar muitas horas por dia a preparar respostas úteis à comunidade, uma parte delas disponibilizada no site (https://vizinhos-aveiro.pt), gerido de forma dedicada pelo Guilherme com ajuda da Daniela e de muitos amigos.

No grupo ‘Slack’, criado pelo Diogo e pelo Hugo e onde nos reunimos todos os dias, já passaram mais de 120 pessoas, entre colaboradores, voluntários e convidados. É espantoso que passadas tantas semanas tenha um núcleo de mais de 40 pessoas muito ativas.

A ‘Linha do Vizinho’ (‪308 811 234‬) é o mais recente serviço ao cidadão, dirigido a quem não usam a internet. O conceito tecnológico foi idealizado pelo Diogo e o funcionamento preparado, de forma meticulosa, pela Rebeca, Filipa e Sandra. Possui uma grande rede de voluntários (cito a Alexandra, Anabela, António, Bernardete, Bernardo, Catarina, João, Liziane, Luís, Paula, Sónia, Tânia e Teresa, mas muitos mais se disponibilizaram) que atende chamadas a quem precisa de ajuda.

Quando tudo começou há umas semanas, criaram-se vários grupos. A Alexandra, o Paulo e a Paula ficaram com a pasta dos apoios sociais, recolhendo a informação das IPSS e agilizando repostas aos pedidos que chegavam. Um grupo fantástico que teve na Carla, Teresa, Fernanda e Teresa Monteiro uma ajuda preciosa.

Num outro grupo, a Paula, a Luísa e o Gonçalo, com apoio de vários vizinhos, foram recolhendo e mapeando os serviços ao domicílio, a informação mais procurada no site.

Nos primeiros dias, quando se sucediam apelos de apoio ao hospital, a Natália e a Celina gizaram um formulário para recolher alojamentos de apoio ao hospital e foram inexcedíveis na procura de apoios, tendo apoio de muitos dos já referidos mas também da Paula e do Ricardo.

Mas os ‘Vizinhos’ precisavam de se manter ativos e mobilizados e por isso foram partilhados no grupo FB um conjunto de eventos culturais e de promoção da atividade física, organizados ou disponibilizados pelo Pedro, Ivo, Rita e Jessica, com apoio de vários amigos.

Uma imagem vale por mil palavras e o trabalho gráfico do André, que está presente em cada um dos conteúdos, descreve-nos na perfeição! E como a imagem precisa de materialização, um agradecimento especial a quem nos ajuda a comunicar.

Obrigado Diário de Aveiro, Rádio Terranova, Notícias de Aveiro, Aveiro Mag, JN, Público e Queroimprimir.

Por último, não se podem esquecer as prontas respostas jurídicas dadas pela Maria Manuel, pelo Pedro e pela Catarina (com apoio de outros advogados) e os muitos esclarecimentos que eles prestaram aqui no grupo.

Termino com um tributo. A grande maioria das pessoas que aqui se encontrou no grupo FB e no coletivo organizado não se conhecia mas dedicou muitos dias do seu tempo, não raras vezes em prejuízo da vida profissional e familiar, a esta causa nobre de ajudar os outros.

O sentido de vizinhança e de participação em Aveiro é um ativo notável, um recurso muito valiosos que a democracia que amanhã celebraremos certamente saberá tirar proveito.

Foto do Adriano Miranda (sempre pronto a ajudar, obrigado, companheiro)

José Carlos Mota.

* Docente universitário.