BIKE UP – O programa de empreendedorismo para o setor das bicicletas

1530

A bicicleta e a sua utilização intensiva, a par de toda uma panóplia de tecnologias (TIC), soluções criativas e serviços que com ela se podem integrar, pode dar um contributo elevado para um aumento da qualidade de vida das populações.

Por Gil Nadais *

O projeto BIKE UP, cofinanciado pelo COMPETE 2020, visa reforçar o empreendedorismo qualificado e criativo no setor das bicicletas, componentes e atividades conexas, potenciando a resposta aos desafios societais, através do apoio à geração de ideias inovadoras e empresas que reforcem a competitividade do setor, a transformação digital, a mobilidade sustentável e permitam a adaptação às novas exigências dos mercados e hábitos dos consumidores.

Pretende-se assim que esta promoção do empreendedorismo seja suportada num maior alinhamento entre as necessidades do mercado empresarial e a oportunidade de surgirem novas empresas de base tecnológica e/ou criativa que apoiem a suficiência do mesmo e estejam alinhadas com as prementes respostas que teremos, coletivamente, de encontrar para lidar com o contexto e problemas que as sociedades europeia e global se deparam.

Esta abordagem permitirá a orientação para o suprimento de falhas de mercado que sejam identificadas, aumentando as suas hipóteses de viabilidade e, paralelamente, atuar como agente de alteração de paradigma de desenvolvimento económico em curso, integrando soluções e apoiando a resolução de muitos dos problemas da sociedade e das nossas cidades e territórios.

De facto, as questões da mobilidade, a par das crescentes preocupações ambientais e de adaptação às alterações climáticas, têm marcado a agenda de todas as políticas de desenvolvimento, visando gerar uma consciencialização coletiva quanto à necessidade de se abandonar os (já escassos, caros e poluentes) combustíveis fósseis.

Neste âmbito, de forma natural, a bicicleta e a sua utilização intensiva, a par de toda uma panóplia de tecnologias (TIC), soluções criativas e serviços que com ela se podem integrar, pode dar um contributo elevado para um aumento da qualidade de vida das populações.

As atividades do BIKE UP decorrem em três regiões de abrangência: Norte, Centro e Alentejo, sendo que Portugal vem-se afirmando como o maior produtor europeu de bicicletas, tendo as exportações do setor representado mais de 400 milhões de Euros (2020). De facto, o setor da mobilidade suave, tem vindo a ganhar preponderância na economia nacional, apresentando um crescente nível de especialização e um percurso de crescimento sustentado e dotado de recursos humanos e técnicos com capacidade de resposta às exigências de qualidade e engenharia. O projeto visa assim estimular o aproveitamento das oportunidades decorrentes da tendência de crescimento global do setor, com particular destaque para: as bicicletas elétricas; o aumento da preocupação e consciência de sustentabilidade e bem-estar e necessidade de “transportes verdes”; a orientação das políticas públicas no reforço da mobilidade suave; o surgimento de novos modelos de mobilidade; o forte potencial de cooperação e coopetição; e as vantagens da economia circular no desempenho do setor e no alinhamento com os desafios ambientais.

No âmbito do projeto BIKE UP, foi já desenvolvida a imagem do mesmo e, esta semana, dia 6 de maio, às 10h30 decorreu o Webinar de arranque e apresentação do projeto sob o tema “Mobilidade Sustentável: Negócios de futuro”, que contou com a presença do Secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro e Pedro Araújo, Vice-Presidente da ABIMOTA e CEO do Grupo Polisport, que abordou “Os desafios e as oportunidades do setor das 2 rodas”.

O BIKE UP, que decorre até dezembro de 2022, envolve diversas ações, nomeadamente: Desde o mapeamento e identificação dos desafios, tendências e oportunidades do setor; lançamento de um concurso de ideias; ações de sensibilização e promoção junto de jovens estudantes; workshops de capacitação; mentoria; realização de visitas técnicas a empresas de referência; visitas a ecossistemas empreendedores projeto, entre muitas outras outras atividades.

Em suma, o descrito permite concluir pelo elevado potencial do projeto em aumentar a competitividade setorial e da cadeia de valor das “duas rodas” em Portugal e em responder a diversos desafios sociais e societais, com notórias externalidades positivas de impacto social na melhoria do bem-estar da comunidade e da qualidade vida das cidades e territórios. Insere-se assim na estratégia que a ABIMOTA tem vindo a delinear e operacionalizar, revestindo-se o cofinanciamento do COMPETE 2020 como elemento fundamental para que tal seja uma realidade.

+ info BIKE UP

* Secretário-Geral da ABIMOTA
Publicado originalmente na Newsletter do Programa Compete 2020.

Publicidade, Serviços & Donativos