Beira-Mar sofre em Castelo de Paiva a derrota mais pesada da época (3-1) e vê liderança encurtada

743
Paivense - Beira-Mar (Facebook do Paivense).

Num animado duelo entre os dois primeiros classificados da divisão de elite, o Paivense venceu, esta tarde, na receção ao Beira-Mar por 3-1, após uma reviravolta, em partida a contar para a terceira jornada da segunda fase da divisão de elite de Aveiro, encurtando para cinco pontos a distância entre as duas equipas. Os paivenses seguem com 31 pontos. Os beiramarenses, que somaram a terceira derrota da época, continuam a liderar com 36.

Ficha do jogo via AFA TV ou FPF / AFA.

As equipas em campo mostraram porque são as melhores do campeonato, disputando os lances de forma intensa, sempre de olhos postos na baliza, num jogo em que a qualidade dos artistas merecia um sintético em melhores condições.

Com duas alterações no onze (Mathieu e Luccas entraram para os lugares de Leandro Vieira e Rafa Fonseca), os visitantes justificavam a vantagem ao intervalo (0-1), embora os locais tenham dado uma boa réplica.

A primeira grande oportunidade pertenceu ao Beira-Mar na sequência de um canto da esquerda, aos 13 m. Rafinha apareceu na pequena área e atirou ao ‘travessão’.

Seguiram-se mais algumas investidas forasteiras. Do Paivense, menos efusivo nesta fase, viu-se um cruzamento de Rebelo da direita em busca do goleador Everton, que falhou o remate, e pouco mais.

Aos 21 m, o Beira-Mar deu expressão ao maior caudal ofensivo. Mérito para o cruzamento da direita de Diogo Tavares. Luccas, na pequena área, tentou ‘meter o pé’, atrapalhando a defesa do guarda-redes, aparecendo Artur, na recarga, a fazer o seu quinto golo.

Ao passar da meia hora, o Paivense dispôs da sua melhor oportunidade, de bola parada. Uma falta cometida por Ricardo Almeida sobre Mateus junto da meia lua. Everton acertou no ângulo superior direito da baliza de Diogo Almeida.

O jogo esteve mais equilibrado até ao descanso, mas com menos lances de perigo. Apenas Luccas, após um canto da direita, cabeceou junto ao poste da baliza da casa.

E tudo mudou na segunda parte …

Após o intervalo, os ventos mudaram de feição, soprando a favor dos locais, confirmando, assim, o estatuto de ‘equipa sensação’ da época. O empate, aos 52 m, relançou a partida. Uma insistência de Rebelo, que, primeiro, rematou contra o Diego Tavares e, depois, fez a recarga sem dar hipótese de defesa.

O Beira-Mar já tinha refrescado o ataque, com as entradas de Marcelo e Rafa, mas era na defesa que revelava dificuldades em travar os paivenses. Aos 65 m, após um canto da direita, deu-se ‘a cambalhota’ no marcador. Costa Pinto cabeceou na área e Ruben Vale finalizou da mesma forma os aveirenses a verem o filme a transformar-se em pesadelo.

A reação do Beira-Mar fez-se sentir de futebol direto, mas sem importunar por aí além a equipa da casa, que respondia da mesma forma, embora revelando-se melhor na finalização. Everton, ‘rei dos marcadores’ do campeonato, num contra ataque, começou a ‘querer fazer das suas’, mas o remate em jeito saiu ao lado.

Do lado contrário, aos 73 m, após um cruzamento da direita, Rafa Fonseca, bem posicionado, fez um remate defeituoso, seguindo-se uma fase de desnorte dos visitantes que não encontravam forma de alterar o rumo dos acontecimentos, voltando a ceder no seu último reduto aos 83 m. Luís Miguel desmarca Everton que dá um primeiro toque para se libertar do defesa e remata para o poste mais distante, apontando, em bom estilo, o seu 22ª golo. O veterano brasileiro (38 anos) esteve perto do ‘bis’ num remate que falhou o alvo, caso contrário o jogo teria acabado com contornos de goleada.

Mais informações em https://www.afatv.pt/jornada/1

Publicidade, serviços e donativos

» Está a ler um artigo sem acesso pago. Faça um donativo para ajudar a manter o NotíciasdeAveiro.pt de acesso online gratuito;

» Pode ativar rapidamente campanhas promocionais, assim como requisitar outros serviços.

Consultar informação para transferência bancária e aceder a plataforma online para incluir publicidade online.