Aveiro: Um Hospital Novo – uma reivindicação de há 40 anos

337
Hospital de Aveiro.

A Comissão Política Concelhia do PSD de Aveiro reuniu com a Administração do Centro Hospitalar do Baixo/Vouga, com o objetivo de expor e esclarecer algumas das preocupações partilhadas pelos aveirenses e pelos próprios profissionais de saúde, relativas ao funcionamento do Hospital de Aveiro, nomeadamente no que concerne ao serviço de urgência, cujo tempo de espera continua a levar à exasperação aqueles que a ele recorrem – e com tendência a agudizar-se nos chamados períodos de “pico”.

As macas ladeiam os corredores, as cadeiras de rodas vão-se amontoando e as muitas pessoas desesperam, sentadas e de pé, horas a fio, para serem atendidas, cenário que em nada dignifica o Serviço Nacional de Saúde, que, destarte, não oferece condições de resposta às necessidades dos cidadãos.

Outro dos assuntos tratados foi a exorbitante lista de espera das consultas de especialidade – com um desfasamento temporal incompatível com a natureza do quadro clínico da pessoa; assim como a projetada ampliação do edifício, lacuna de que decorre, por exemplo, a limitação do número de internamentos, por falta de camas, e a realização de consultas externas em contentores pré-fabricados, com fracas condições físicas de acolhimento dos utentes e de trabalho dos profissionais.

A somar a tudo isto, encontra-se ainda a denunciada falta de recursos humanos – médicos, enfermeiros e assistentes operacionais -, o que compromete a prestação de cuidados de qualidade à população.

Desta reunião, ressaltou o otimismo e a vontade da Administração do CHBV em dar resposta aos problemas com que o Hospital se depara, pese embora as diferentes condicionantes, designadamente de natureza financeira, mas em relação às quais aguarda, confiante, uma próspera mudança no ano de 2019.

Da nossa parte, temos a referir que, lamentavelmente, a Saúde continua a ser uma das áreas desprezadas pelo Governo Socialista, o que se repercute na disponibilização, em Aveiro, de um Serviço Nacional de Saúde deficiente, com graves carências, há já muito tempo identificadas. Os remendos vão-se somando – contentor daqui, ampliação dali; os profissionais vão-se desdobrando em esforços, dando o seu melhor dentro das escassas condições de trabalho que possuem; os utentes, entre um suspiro e um ai, vão lidando com o desespero da “espera” ou então recorrem ao serviço privado como tábua de salvação!

Sensível às preocupações identificadas, o nosso Município cedeu os terrenos para a tão falada ampliação, no entanto o envelhecimento de toda a estrutura hospitalar e a falta de espaço para crescimento da atividade clínica continua a ser uma realidade só contornável com a construção de um Hospital novo, capaz de servir condignamente, física e humanamente, os 360 000 habitantes abrangidos.

Esta reivindicação, que remonta há 40 anos, já passou pela mão de muitos Governos, mas, à semelhança do que sempre defendeu um antigo e digníssimo membro da Assembleia Municipal, começamos, de facto, a acreditar que o problema está “na falta de um lobby entre Porto e Coimbra”.

Esperamos, pois, que as palavras de otimismo da Administração do CHBV e a vontade de fazer mais e melhor se transformem numa mudança efetiva do serviço de saúde prestado neste Hospital, aquela pela qual os utentes, os profissionais de saúde e os aveirenses há tantos anos anseiam, mas que já deixaram de acreditar.

Comissão Política Concelhia do PSD de Aveiro