Aveiro: PS pediu melhorias nos apoios à Covid-19 e questiona investimentos locais

1272
Executivo camarário de Aveiro.

O PS deixou um conjunto de sugestões ao cuidado da maioria PSD-CDS na última reunião de Câmara, ontem à tarde, para que possam ser consideradas no âmbito da medidas de apoio local em resposta à pandemia causada pela Covid-19.

Em comunicado, os eleitos socialistas assumiram um “voto favorável, mas crítico” relativamente ao Programa de Ação de Apoio à Atividade Social e Económica (Fase 2) que foi elaborado pela autarquia enquanto “participação de corresponsabilidade nas soluções para enfrentar a pandemia”.

São apontados diversos exemplos tidos como “excelente” de medidas tomadas ao nível autárquico que poderiam também ser seguidos localmente para “melhoria substancial” das ações em curso. “Quando a crítica é feita acompanhada por sugestões, mesmo que ignoradas ou intencionalmente desvalorizadas, quem não aceita a crítica, não é verdadeiramente líder”, refere a tomada de posição assinada pelo vereador Manuel Oliveira de Sousa.

O também líder concelhio adianta que os autarcas locais do partido têm respondido para dar contributos com “ação discreta, eficiente e próxima das pessoas para resolução dos seus problemas” no “acompanhamento” das várias entidades, associações ou ações de vizinhança e proximidade”.

O PS informa, entretanto, que aproveitou a reunião de Câmara para questionar diversos outros assunto. Foi pedido um ponto de situação das obras previstas para a requalificação da Avenida Lourenço Peixinho, Praça Humberto Delgado e Rossio.

“Projetos de grande contestação social e que só por insensibilidade diversa é que avançarão, como foram apresentados, para o terreno, os aveirenses têm direito a saber o destino que irão ter”, referem os socialistas, aguardando “de forma clara e cristalina a explicação pública sobre estes dossiers e medidas sobre os impactos na vida de milhares de aveirenses.”

Os socialistas alertaram, também, para a necessidade de “redefinir a estratégia de custos” da concessão local de recolha de lixo e limpeza urbana, que subiu o ano passado devido ao aumento do turismo, atividade que praticamente parou desde o início da pandemia.

O Festival dos Canais motivou igualmente questões, atendendo a aquisição de serviços para a programação de 2020. O PS quis saber qual “o posicionamento/ideia da Câmara relativamente à realização deste festival, face à necessidade de distanciamento social em que vivemos, nomeadamente em que moldes, e para que datas está prevista a edição” deste ano. Outra questão colocada foi a razão de uma nova consultadoria cultural adjudicado por 73.440 euros por um prazo de 17 meses a uma empresa, correspondendo a um “aumento significativo de preço mensal face ao contrato de avença anterior”.

Comunicado completo do PS sobre a reunião de Câmara

Publicidade, Serviços & Donativos